INVESTIGAÇÃO - 15/05/2018 - 06:02

CPI da Saúde começa a ouvir testemunhas

Foto: Heribaldo Martins/CMA

 

Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde se preparam para começar a segunda fase das investigações, que é a de ouvir todas as testemunhas convocadas sobre as possíveis irregularidades nos contratos dos Hospitais Filantrópicos com a Prefeitura Municipal de Aracaju nos anos de 2012 a 2017.

Na reunião realizada na Câmara Municipal nesta segunda-feira (14), foram aprovados requerimentos que tratam, em sua maioria, de convocações de diretores, presidentes, funcionários que trabalham nas instituições citadas no processo.

Entre as proposituras discutidas, estão as solicitações para ouvir os responsáveis do Santa Isabel, Hospital Cirurgia e São José. Além do ex-secretário estadual da Saúde Almeida Lima e o prefeito Edvaldo Nogueira. “Cada vereador já tem acesso as cópias dos documentos para analisar com calma. Ainda estamos discutindo quem será ouvido pela Comissão. Quero frisar que todos, que tenham envolvimento diretamente com os repasses das verbas, serão ouvidos. Mas, não vamos fugir do objetivo da investigação”, afirmou presidente da CPI, vereador Seu Marcos.

O parlamentar lembrou ainda que está proibida a divulgação de qualquer informação ou documentos entregues aos vereadores para análise e que novas pessoas podem ser requisitadas para serem ouvidas a qualquer momento.

Debate

Diante de alguns impasses durante a reunião, o relator Isac Silveira (PCdoB) alertou sobre o objetivo que deu origem a CPI. Ao ler o texto do documento que criou a investigação, Isac alertou: “não podemos fugir do que está tratando a Comissão, que é o de investigar o repasse e o destino das verbas públicas aos hospitais filantrópicos pela Secretária Municipal da Saúde. Além da apuração exata do tamanho dívida desses setores citados no processo”, destacou Isac.

Para Anderson de Tuca (PRTB), que teve sua solicitação aprovada, sugerindo a vinda dos membros do centro cirúrgico do Hospital de Cirurgia, o corpo funcional deve esclarecer a logística para o atendimento. “Precisamos entender o funcionamento dos centros cirúrgicos. É necessário saber como é feita a triagem dos pacientes. Conversar com estes profissionais para se chegar a um entendimento é sim prioridade. Não quero fazer política desta CPI”, argumentou.

A sugestão do vereador Jason Neto (PDT) para convocar o ex-secretário estadual Almeida Lima foi acatada pela maioria dos membros da CPI. “A vinda deste cidadão pode esclarecer alguns dilemas. Acho que como gestor, ele pode dar direcionamentos de como ficou a saúde e de como ele a encontrou” , defendeu.

Já Cabo Amintas ( PTB), que teve a sugestão de ouvir o prefeito Edvaldo Nogueira adiada, ressaltou a necessidade de não ouvir pessoas que queiram apenas tirar proveito e fazer mídia. “Acho acertada o pedido da presença de ex-presidentes e diretores da instituições, a exemplo do senhor Gilberto dos Santos, já que o mesmo ainda tem forte influência nas decisões tomadas pela diretoria do Cirurgia. Gostaria de ouvir também o prefeito Edvaldo Nogueira sobre todos os cargos comissionados existentes. Já Almeida Lima quero ele bem longe, já que ele só quer holofotes”, frisou.

Fonte: CMA