CONHECIMENTO - 09/08/2018 - 15:15

Defesa Civil recebe municípios para palestra sobre Mapa do Monitor de Secas

Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira, 9, o Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil da Secretaria de Estado da Inclusão Social (Depec/Seidh) recebeu coordenadores da Defesa Civil nos municípios para uma palestra com o superintendente de Recursos Hídricos da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Semarh), Aílton Rocha, sobre a Validação do Mapa do Monitor de Secas em Sergipe.

O Monitor de Secas é um programa que está sendo desenvolvido para o nordeste brasileiro, inicialmente trabalhado pela Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme) e pela Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), com envolvimento do Banco Mundial. Atualmente, ele está sendo coordenado pela Agência Nacional de Águas, com a participação de todos os estados do Nordeste.

“Estamos seguindo uma metodologia que vai desde os observadores locais (de campo), passando pelos pontos focais de cada instituição e os validadores de nosso estado para então remetermos aos autores e à publicação do mapa consolidado”, explicou Aílton.

Ainda de acordo com o superintendente, na primeira quinzena de cada mês, é publicado um mapa do Monitor de Secas do mês anterior, demonstrando qual a severidade da seca em relação ao estado, que muda de acordo com a faixa climática. “É muito importante, pois no mapa estão inseridos o impacto e as medidas indicadoras para cada impacto que está sendo sinalizado”, ressaltou.

O diretor da Defesa Civil Estadual, Cel. Alexandre José, comentou sobre a relevância da palestra. “Nossa intenção foi mostrar o papel de cada observador ao contribuir com informações precisas da sua região, de modo que o mapa que for apresentado a cada mês possa efetivamente representar a realidade nas suas diferentes intensidades, como leve, moderada, grave e excepcional”, disse.

O Cel. Alexandre também destacou a importância do instrumento para a validação de transferência de recursos para os municípios. “Só as secas moderadas, graves e excepcionais poderão receber recursos a partir dessa gradação”, explicou.

Fonte: Defesa Civil