INVESTIGAÇÃO - 06/06/2018 - 07:03

DHPP desarticula grupo envolvido na morte de motorista de ônibus

Foto: SSP

 

Da redação, AJN1

Quatro suspeitos de envolvimento no latrocínio do motorista de ônibus Everton Oliveira Barreto, 30, ocorrido na zona de Expansão de Aracaju, foram presos durante uma ação conjunta que envolveu as equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp) e da 9ª Delegacia Metropolitana. As prisões aconteceram nesta terça-feira (5) no bairro Santa Maria e no conjunto Orlando Dantas. Um suspeito também foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento. Com o grupo foi apreendido um revólver calibre 38; balança digital de precisão; dois tabletes de maconha prensada; e materiais utilizados no fracionamento e embalagem de entorpecentes.

O motorista de ônibus foi morto a tiros na madrugada do dia 3 de fevereiro quando retornava de uma festa na zona de Expansão. Pelo que ficou esclarecido, dois homens em uma moto XRE tentaram interceptar o carro conduzido por Rivaldo Custódio Dória Júnior e efetuaram vários disparos. Os disparos atingiram o condutor e Everton, que estava no banco do carona. Rivaldo conseguiu dirigir o carro até o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde conseguiu socorro médico, mas o colega não resistiu as ferimentos e acabou morrendo. .

O caso vem sendo investigado pela 1ª Divisão do DHPP, coordenada pelo delegado Kassio Viana. A princípio surgiu a possibilidade do crime ter relação com um suposto assédio de uma das vítimas a namorada de um presidiário alagoano. No entanto, os levantamentos realizados pela 1ª Divisão mostraram que se tratava de um latrocínio.

“Como uma das vítimas tinha um som potente, foi convidada por uma mulher, que estava aniversariando, para a comemoração na rodovia José Sarney”, explicou o delegado Kassio Viana, acrescentando que foram presos Elisson Conde dos Santos; Rayane Suellen Souza Silva; Johne da Silva Santos; e Tamires Alves de Carvalho, que tiveram as prisões decretadas pelo juízo da 1ª Vara Criminal de Aracaju.

O delegado informou que existem versões contraditórias sobre quem teria participado diretamente do crime. “Elisson acusa Johne e Gabriel – que foi preso dias depois em uma operação realizada pelo Cope por ser suspeito de envolvimento em outros homicídios. Enquanto; Johne aponta Elisson e Gabriel como sendo os executores”. Kassio Viana ressaltou que não existem dúvidas sobre o envolvimento dos acusados no crime. Quanto as mulheres a polícia ainda investiga a possibilidade de elas terem atraído as vítimas para o local.

*Matéria atualizada às 9h10 para acréscimo de informações