POLÍTICA - 13/04/2019 - 09:19

Washington é o novo gestor da Secretaria Nacional de Esporte



Foram 17 anos de carreira nos gramados. Ao todo, 411 gols – 34 deles apenas em 2004, quando Washington Stecanela Cerqueira seria, pela primeira vez, artilheiro do Campeonato Brasileiro, jogando, então, pelo Atlético Paranaense. Em 2008, novamente, foi o maior goleador do torneio e, dois anos depois, chegaria ao título do Brasileirão pelo Fluminense. A soma de conquistas no futebol foi encerrada com a aposentadoria em 2011. Agora, o desafio do “Coração Valente” será à frente da Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. A nomeação de Washington para o cargo foi publicada no Diário Oficial da União nesta sexta-feira (12.04).

Recordando o grande histórico que viveu nos campos, o secretário acredita que o momento, agora, é de retribuir. “O esporte me deu muitas oportunidades, de me transformar num cidadão, de fazer com que a minha vida pessoal fosse transformada. Então acredito que agora a minha função é devolver ao esporte, principalmente para as crianças, aquilo que aprendi e ganhei por meio do esporte”, afirma Washington.

O centroavante passou por diversos clubes ao longo da carreira, como Internacional, Ponte Preta, São Paulo, Fenerbahçe (Turquia) e Tokyo Verdy (Japão). Vestiu ainda a amarelinha da Seleção Brasileira na Copa das Confederações de 2001 e em partidas das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002. Toda essa trajetória teve início aos 15 anos, quando o brasiliense deixou a capital federal para jogar no Caxias, no Rio Grande do Sul.

“Lá eu me profissionalizei, depois joguei em vários clubes do país e fora também. Tive várias oportunidades, passagens por outros clubes, me tornei artilheiro, campeão de alguns campeonatos, inclusive o Brasileiro”, relembra. A carreira foi marcada ainda por um problema cardíaco e por uma cirurgia de cateterismo de emergência, em 2002, que lhe renderam o apelido de “Coração Valente”. Contrariando as expectativas, Washington voltou aos gramados e, ao longo de outros nove anos, conquistou seus principais títulos.

“Desde a minha época como jogador, eu sempre me preocupei com a questão política também”, destaca. Assim, quando decidiu se aposentar, Washington migrou de cenário e foi secretário de esportes e vereador em Caxias do Sul (RS), em 2012. No início deste ano, exerceu um curto mandato de três meses como deputado federal. Foi quando surgiu, então, o convite para a assumir a Snelis, dentro da estrutura do novo Ministério da Cidadania.

“Além do esporte e do lazer, a Snelis envolve duas coisas importantes, que são a área educacional e a inclusão social. São duas ferramentas muito importantes principalmente na formação do cidadão”, pondera. É nesse aspecto social e de formação que Washington pretende focar. “A minha luta aqui vai ser essa: dar oportunidade a eles para que entrem na vida do esporte formando a parte cidadã”, afirma. “É claro que vou ficar muito feliz se transformar essas crianças em atletas, independentemente da modalidade esportiva, mas o principal, o mais importante, é transformá-la em um cidadão. Esse é o grande objetivo”, ressalta.

As informações são da Snelis.