FRAUDE DOS COMBUSTÍVEIS - 06/08/2018 - 15:18

Frentista admite que recebia entre R$ 20 e R$ 30 por semana para ficar calada

Da redação, AJN1

Foi realizada na manhã desta segunda-feira (6), no Fórum Gumersindo Bessa, em Aracaju, uma audiência de instrução, sobre o suposto desvio de dinheiro utilizando os cartões de abastecimento de combustível de veículos da Polícia Militar. Durante a audiência, uma mulher, identificada como frentista de um dos postos de combustíveis, disse que percebia algo estranho.

Ela também revelou que recebia, de uma outra frentista, entre R$20 e R$30 três vezes por semana para ficar calada e não comentar o que estava vendo com ninguém, mesmo sem saber do esquema.

A defesa da frentista alegou que, como ela não sabia a origem do dinheiro, não pode responder criminalmente.

Um sargento da PM, identificado como Robertson Souza Santos, está preso desde o último mês de fevereiro no Presídio Militar, acusado de participar da fraude.

O caso

O caso veio a público em janeiro desse ano. A PM instaurou um Inquérito Policial Militar, que identificou indícios de ilegalidade, afastando o sargento Robertson Souza Santos do Centro de Suprimento e Manutenção (CSM), setor responsável pelo controle de abastecimento de combustível no âmbito da estrutura militar sergipana.

Além dele, estaria envolvida também uma mulher, que seria a frentista, empregada do posto de abastecimento de combustível credenciado no sistema de controle de abastecimento que serve aos órgãos da administração pública.