POSICIONAMENTO - 09/04/2019 - 17:31

“Não compactuarei com nenhum tipo de erro”, afirma Belivaldo

O governador Belivaldo Chagas | Foto: Arquivo

Da redação, AJN1

O governador Belivaldo Chagas (PSD) disse nesta terça-feira (9), por meio de uma rede social, que “não compactuará com qualquer tipo de erro”, caso seja provada falha na ação da Polícia Civil que resultou na morte do designer de interiores, Clautenis José dos Santos, de 37 anos, que foi atingido por disparo de arma de fogo na noite dessa segunda-feira (8), durante uma operação policial da Divisão de Roubos e Furtos de Veículos (DRFv), da Polícia Civil.

“Apoio as ações das nossas polícias, militar e civil, no combate à criminalidade, mas quero deixar claro para toda sociedade que prezo pela Justiça e não compactuarei com nenhum tipo de erro, caso ocorra”, escreveu ele no Twitter.

Belivaldo também determinou à Secretaria de Segurança Pública que faça a apuração dos fatos com maior rigor.

“Em relação à morte de Clautenis José dos Santos, em uma abordagem policial na Zona Norte de Aracaju nesta segunda-feira, 8, afirmo que a determinação para a Secretaria de Estado da Segurança Pública é apurar de forma rigorosa o ocorrido buscando o pleno esclarecimento dos fatos”, concluiu.

Entenda

A abordagem policial ao veículo que faz transporte por aplicativo que terminou no assassinato do designer de interiores Clautenis José dos Santos aconteceu por volta das 22h de ontem, nas imediações do Sesi do bairro Santos Dumont, na zona norte de Aracaju. O motorista e outro passageiro do veículo também saíram feridos. A ação foi praticada por uma das equipes da DRFV, mas a dinâmica do ocorrido ainda está sendo apurada.

Segundo familiares, Clautenis teria passado o dia no Bugio e a noite solicitou um veículo de aplicativo para retornar à Barra dos Coqueiros, onde residia. Ele viajava acompanhado do colega Leandro Vasconcelos.

O DHPP abriu inquérito policial para investigar as circunstâncias da morte de Clautenis. O secretário da Segurança Pública, João Eloy, prometeu empenho nas investigações e acionou o DHPP e a Corregedoria da Polícia Civil para começar, já nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (10), os levantamentos sobre as circunstâncias da ocorrência.

Testemunha que estava no carro, motorista e policiais já foram ouvidos no DHPP.