CULTURA - 09/03/2018 - 18:38

Orsse abre temporada de 2018 com grandes repertórios



A Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) abriu sua temporada de concertos 2018 na noite da última quinta-feira, 8, com um repertório especial. Sob a regência do maestro Guilherme Mannis, o concerto realizado no Teatro Tobias Barreto levou ao público um repertório com obras dos compositores Franz Joseph Haydn, Mozart Camargo Guarnieri e do icônico, Ludwig van Beethoven. A apresentação marcou o início da tradicional “Série Cajueiros”, que traz ao público sergipano consagradas obras do repertório sinfônico tradicional e contemporâneo.

“O repertório desta noite trouxe, na primeira parte, uma ópera de Haydn, e o concerto para cordas de Guarnieri, que ele compôs por encomenda da Orquestra de Pernambuco, com muitos temas brasileiros, inclusive o maracatu. Na segunda parte, tivemos famosa Sinfonia nº6 em Fá maior, Pastoral, de Beethoven”, explicou o maestro.

Sobre a temporada 2018, Guilherme Mannis, falou que as expectativas são as melhores. “Elaboramos uma temporada muito variada e eclética, que tem sido a nossa marca, em que teremos concertos dedicados à música russa, ao barroco italiano, a temas de filmes, além de um concerto especial pelos 60 anos da bossa Nova”, adiantou o regente.

Para o secretário de Estado da Cultura, João Augusto Gama, que esteve presente na abertura da temporada, este será um mais um ano de grandes realizações para o grupo. “Sabemos do valor da nossa Orquestra Sinfônica e temos trabalho para mantê-la cada vez mais ativa e realizando grandes espetáculos como o de hoje para o povo sergipano”, destacou.

Público fiel

O público, espetáculo a parte e sempre fiel aos concertos da Sinfônica, elogiou a Orquestra pelo trabalho que vem desenvolvendo nas últimas temporadas. “Gosto de vir aos concertos pois sei que aqui irei encontrar música boa, que aguçam meus sentidos e percepções. A música clássica, seja ocidental, indiana ou africana, não só trabalha nossos sentidos, como também trazem outros conhecimentos sobre o mundo. Porque a musica não é só arte, ela também é um meio de ampliar nossos horizontes”, ressaltou a fotógrafa, Luzia Obelar.

A técnica de enfermagem e filósofa, Susana dos Santos, afirma que sempre gostou de assistir aos concertos da Orsse, e que frequenta há muitos anos. “Acho que cada vez mais pessoas se interessam pela música orquestrada, mas ainda assim, há pouco espaço nas mídias para este estilo musical. A música clássica não chega à população, como outros estilos mais comerciais, o que acaba sendo uma pena”, opinou Susana.

O próximo concerto da Orsse está marcado para o dia 12 de abril, no Teatro Atheneu, que trará como tema “Uma noite em Veneza”. A Orsse é uma realização do Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).