EM MOVIMENTO - 05/10/2018 - 10:39

PMA oferece curso de dança para terceira idade

Foto: Sérgio Silva/PMA

 

Em 2050, um em cada três brasileiros serão idosos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o que faz necessário repensar as políticas públicas das cidades. É pensando nisso que a Prefeitura de Aracaju desenvolve diversas ações voltadas para esse público. É o caso do curso de dança e consciência corporal da Escola de Artes Valdice Teles, unidade da Fundação Municipal Cidade de Aracaju (Funcaju).

A proposta leva educação artística a mulheres da terceira idade, que participam das aulas às terças e quintas-feiras, sempre com duração de duas horas. Os cursos são ofertados sobre demanda social, duas vezes ao ano, no início do ano e na metade do ano.

Segundo a coordenadora da Escola de Artes, Mariana Galvão Nascimento, são ofertados diversos cursos, lançados a cada início de semestre. “A Escola de Arte oferta várias linguagens artísticas, e diferentes tipos de dança. No início do ano nós ofertamos o curso de dança contemporânea, e houve uma alta adesão por parte de pessoas da terceira idade. Então, acabamos modificando o curso para dança e consciência corporal, que é muito bem trabalhado pela professora Cleanys Silva, e destinado para mulheres mais idosas”, explicou a coordenadora.

A escola de artes busca incentivar e atrair mulheres para que, através de expressões artísticas, levem um envelhecimento ativo e sejam capazes de continuar participando da sociedade. Para a professora Cleanys Silva, a dança faz bem à saúde física e emocional em qualquer idade, sobretudo para idosos, que têm a oportunidade de socializar e conhecer novas pessoas.

“Com este curso trabalhamos a mente, este tipo de dança funciona como terapia e consciência corporal. Então, hoje, o nosso formato é de dança livre, sem aquela coisa de formação estrita, para explorar a sensibilização parcial e total do corpo, para que as pessoas tenham consciência plena de como realizar os movimentos da dança, até como caminhar, sentar-se e manter uma postura correta. E também para deixar o corpo fortalecido e apto para dançar qualquer ritmo”, explicou a instrutora.

Entre as 24 mulheres que formam a turma está Maria Rosa de Melo, de 69 anos, que entrou no curso para melhorar sua saúde física. “Eu me reinscrevi no curso porque sofro de artrose e devo realizar atividade física. No começo do curso eu sentia dificuldade para realizar alguns movimentos, dor nas articulações. Mas, mesmo assim, a gente não pode ficar em casa, e hoje eu me sinto muito melhor fisicamente, não tenho problemas para dançar, pelo contrário gosto da dança. Além disso minha autoestima aumentou, e estou muito feliz com o curso”, disse Maria Rosa.

A dona de casa Jailda Raimunda de Souza, 62, também procurou o curso para melhorar sua saúde. Ela pedala 25 minutos para chegar à escola de arte, nunca faltou a uma aula e conta que “ama viver em movimento”. “Eu procurei o curso para melhorar minha saúde. Pois, já fiz duas cirurgias de joelho, meniscos, e também dos olhos, e se ficar parada vou piorar”, explicou dona Jailda.

A Escola de Artes oferta outros cursos como canto de coral, técnica vocal e jazz; aulas de violão e instrumental; dança do ventre, afro, ritmo e contato de improvisação, em que as pessoas de idade avançada podem participar. A sede da Escola de Artes Valdice Teles fica localizada na rua Vila Cristina, nº 354, no bairro São José.

Fonte: AAN