ESCLARECIDO - 13/10/2017 - 07:20

Preso acusado de executar gerente de posto em Poço Redondo

Foto: Ilustrativa

 

Da redação, AJN1

Suspeito de matar o gerente do posto de combustíveis durante uma tentativa de assalto ocorrido no mês passado em Poço Redondo, o ex-presidiário Humberto Vinícius da Conceição Silva, 21, foi preso pela equipe da Delegacia Regional de Canindé do São Francisco. A prisão aconteceu na Zona Rural de Canindé, quando o acusado estava em um veículo, acompanhado de outros dois homens. Além do latrocínio, Vinícius era investigado por envolvimento em roubos registrados no sertão sergipano.

De acordo com o delegado de Canindé, Antônio Francisco, Vinícius foi preso quando retornava para Sergipe, depois de passar um período escondido em Pernambuco. “Estávamos realizando buscas na Zona Rural de Canindé, quando observamos a passagem de um carro com três homens, em atitude suspeita”, disse o delegado, acrescentando que foi realizada a abordagem e para surpresa dos policiais um dos ocupantes do carro era Vinícius, que foi detido.

O gerente do posto de combustíveis São Jorge, Edson da Costa Fagundes, 56, foi morto a tiros no início da tarde do dia 11 de setembro, quando se deslocava para uma agência bancária em Poço Redondo. A vítima estava a pé, quando foi rendida pelo criminoso e ao esboçar reação, acabou atingida por disparos e teve morte instantânea.

Em seu depoimento, Vinicius confessou a autoria da tentativa de assalto que terminou no assassinato do gerente do posto de combustíveis, e passou detalhes de como planejou e executou o crime. Ele disse que vinha monitorando a vítima há três semanas e tinha informações sobre os valores que ela costumava transportar. Ainda de acordo com o depoimento do acusado, como a vítima era uma pessoa pacífica, ele não esperava que houvesse reação e diante da situação acabou atirando e matando Edson. Mas fugiu sem levar o dinheiro por conta da movimentação dos populares.

Vinicius já tem passagens pela polícia por assalto e tráfico de drogas e estava em liberdade desde o mês de fevereiro. Ele estava com preventiva decretada pela Justiça por ser suspeito de envolvimento em um assalto ocorrido no mês de julho em Canindé.