REPERCUSSÃO - 04/04/2018 - 18:48

Senador Valadares quer auditoria para investigar recursos do Proinveste



Nesta quarta-feira (4), o senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) foi à tribuna comentar a denúncia do governador Jackson Barreto (MDB), sobre os recursos oriundos do Proinveste em Sergipe, cuja primeira parcela teria sido usada para o pagamento da folha de servidores. As declarações foram feitas durante entrevista a uma emissora de rádio no dia 28 de março, ocasião a qual Jackson responsabilizou a gestão do ex-governador Marcelo Déda de realizar a manobra financeira.

“Apesar do pedido de desculpas feito pelo governador à família de Déda e à sociedade sergipana, a denúncia causou estragos e foi um verdadeiro tiro no pé”, disse. Para Valadares, foi um desrespeito à memória de Déda, um dos políticos mais sérios da história sergipana. “Déda estava em tratamento de saúde, portanto quem assumiu a gestão do estado foi o vice-governador”, afirmou.

Diante do cenário, o senador Valadares assegurou que vai ratificar o pedido feito em 2013, por meio do requerimento 876/2013 do Senado Federal, aos órgãos controladores e fiscalizadores (Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas da União, Ministério Público Federal e Tribunal de Contas do Estado de Sergipe) para obter informações detalhadas sobre a execução e o acompanhamento das obras do programa no estado.

“Fica evidente, diante da denúncia, que algo de errado está acontecendo na aplicação dos recursos do Proinveste em Sergipe. Por isso, vamos atrás dos órgãos responsáveis para que revelem a destinação específica desses recursos”, ressaltou. O senador expressou sua temeridade diante da situação e reiterou o pedido de respostas claras para o povo de Sergipe.

Caos Financeiro

Na oportunidade, o senador lembrou que Sergipe vive um verdadeiro caos financeiro. “Graças a uma liminar concedida hoje, o estado poderá movimentar os recursos da Conta Única, com R$ 80 milhões, que estavam bloqueados ontem e poderá pagar a folha salarial já atrasada. Essa situação caótica repercute tanto na economia local quanto na vida das famílias sergipanas”, explicou.

Com informações da assessoria.