ESCASSEZ HÍDRICA - 11/03/2019 - 16:18

Situação de “seca extrema” obriga Estado a ficar em alerta

Foto: Joangelo Custódio

Da redação, AJN1

O estado de Sergipe, assim como quase todo o Nordeste, vem apresentando nos últimos meses uma elevação na severidade da seca, principalmente nas regiões Agreste e Sertão, onde a situação é de “seca extrema”, conforme estudo do Monitor de Secas — instrumento de acompanhamento regular da estiagem, coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Em virtude da agravação da estiagem, foi realizada na manhã desta segunda-feira (11), um seminário coordenado pela Superintendência de Recursos Hídricos, que reuniu diversas entidades públicas estaduais e municipais para apresentar a real situação enfrentada por Sergipe.

Arte produzida pela ANA mostra agravamento da seca.

“Nosso relatório aponta que a situação de seca se intensificou principalmente na porção Semiárida, assim como na região Agreste. Essa situação é reflexo do baixo volume de chuva registrado até o final do mês de fevereiro. Isso quer dizer que não apenas a agricultura, mas a fauna e a flora também foram afetadas. A partir disso, desenvolvemos ações específicas para situações como essas, a exemplo de distribuição de caminhões-pipa e trabalhos de educação ambiental voltados à economia de água”, afirma o superintendente Aílton Rocha

A problemática, conclui Ailton, é influenciada diretamente pelo aquecimento que persiste com o estabelecimento do fenômeno El Niño. “A previsão é que o fenômeno acabe no mês de julho deste ano.”

A Defesa Civil estadual também participou do seminário e informou que em algumas cidades o fornecimento de água tem sido feito em forma de revezamento, a exemplo de Tobias Barreto, e também há a distribuição de caixas d’água que suprem a demanda de abastecimento das comunidades. Essas alternativas visam minimizar os efeitos da estiagem, possibilitando que a população não fique completamente desabastecida.

Trimestre

Na ocasião, também foi exposto o mapa confeccionado pela Sala de Situação, Clima e Tempo de Sergipe, informando sobre o volume de chuva que será recebido neste trimestre, que compõe os meses de março, abril e maio. Nele, é possível ver que até maio deste ano, a previsão é que apenas as regiões litorânea e parte do Baixo São Francisco terão ocorrência de chuvas significativas.

Situação de emergência

Até o momento, segundo a Defesa Civil estadual, 11 municípios estão em situação de emergência, sendo que, desses, dois aguardam portaria de reconhecimento federal ou homologação estadual. Até o mês de fevereiro, eram 25 municípios. A diminuição no número de cidades é porque a vigência expirou, mas podem ser decretados novamente. A Defesa Civil acompanha a evolução da estiagem e atua com carros pipas em municípios prioritários. A vigência é de 180 dias.

Os municípios em situação de emergência são: Pinhão, Nossa Senhora da Glória, Graccho Cardoso, Nossa Senhora Aparecida, Canhoba, Feira Nova, Moita Bonita, São Francisco, Tomar do Geru, Poço Redondo e Salgado.

Temperaturas

As temperaturas também seguem elevadas. Segundo a Sala de Situação, a máxima no Alto e Médio Sertão já chegou a 39ºC ; com mínima de 25ºC. No Agreste, o calor intenso continua: máxima de 36ºC e mínima de 26ºC. Nas regiões Sul e Centro Sul a máxima fica em torno de 34ºC e mínima de 25ºC. No Litoral a onda de calor também vem aquecendo a moleira das pessoas. A máxima fica em 33ºC e mínima 25ºC.