PROCESSO LICITATÓRIO - 08/04/2019 - 18:04

Três empresas são pré-qualificadas para participar do arrendamento das Fafens

Foto: Mário Sousa/ Sedurbs

Da redação, AJN1

A Petrobras informou que as empresas Acron, Formitex e Proquigel atenderam aos requisitos exigidos e estão habilitadas a participar da licitação destinada ao arrendamento das Fábricas de Fertilizantes de Sergipe (Fafen-SE) e da Bahia (Fafen-BA). A etapa de pré-qualificação foi encerrada na última segunda-feira (1). O processo licitatório para o arrendamento seguirá os ritos e atos da Lei Federal 13.303/2016 (Lei das Estatais).

A Petrobras alega que decidiu pela saída do negócio de fertilizantes em função da “persistência de prejuízos e destruição de valor decorrente da operação dos ativos”. Ainda de acordo com a estatal, principalmente no caso da Fafen de Sergipe, é inviável mantê-la em atividade, devido ao preço elevado do gás. Segundo a petrolífera, a Unidade registra um prejuízo anual de R$ 250 milhões. Em hibernação, esse valor seria de R$ 10 milhões mensais.

Incentivos

Com o objetivo de discutir a viabilidade da Fafen em Sergipe, o governador do Estado, Belivaldo Chagas, disse que vai reduzir a tarifa da água usada na fábrica, além de uma reavaliação dos tributos como o ICMS, que impactam na distribuição do gás, tudo isso para tornar mais atrativo o arrendamento às empresas interessadas.

Nesta terça-feira (9), Belivaldo estará com o governador da Bahia, Rui Costa, discutindo o tema no Ministério de Minas e Energias.

Fundação

A fábrica de Sergipe entrou em operação em 1982 e marcou um novo ciclo do desenvolvimento no estado, com a construção da adutora do Rio São Francisco, a ampliação da rede de energia elétrica, a revitalização da ferrovia que liga Sergipe à Bahia e ainda com a instalação do Terminal Portuário Ignácio Barbosa, em Barra dos Coqueiros, a 36 quilômetros de Aracaju. Ocupando uma área de 1 Km², a fábrica produz amônia, ureia fertilizante, ureia pecuária, ureia industrial, ácido nítrico, hidrogênio e gás carbônico.

Desde 2014, a Fafen conta com uma planta de produção de sulfato de amônio com capacidade para produzir até 303 mil toneladas/ano, o que equivale a 80% da importação da região Nordeste em 2014. O sulfato de amônio contém nitrogênio na composição e também é excelente fonte de enxofre, muito utilizado no cultivo de milho, cana-de-açúcar e algodão.