- 18/09/2017 - 17:28

Chegou a primavera… dos museus!

Todo mês de setembro, desde 2007, acontece a “Primavera dos Museus”. Trata-se de um conjunto de eventos que objetivam aumentar o público dos museus e fortalecer as relações dessas instituições culturais com a sociedade. Em todo o País os museus aderem à iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus, o IBRAM, e tornam a semana de 18 a 24 de setembro inteiramente dedicada a discutir, divulgar e aproximá-los do público, através de atividades variadas. Palestras, mesas redondas, visitas mediadas, exposições, oficinas, exibição de filmes e apresentações musicais, tudo resulta numa grande “festa” que acontece em mais de 900 museus pelo Brasil, totalizando 2500 atividades em 417 cidades.
O número de instituições participantes vem crescendo sempre; hoje elas são 15% mais numerosas do que as que fizeram as primeiras edições da Primavera dos Museus. Este é um dado alvissareiro, que afirma o protagonismo e a importância dos museus, apesar de todas as dificuldades que eles enfrentam. O Brasil conta com 3,7 mil museus cadastrados e sua existência é, às vezes, penosa, para dar conta daquilo que, por sua natureza, essas instituições exigem. Eis porque o tema em torno do qual serão desenvolvidas as atividades da 11ª. Primavera dos Museus é tão significativo: “Museus e suas Memórias”, possibilita dar visibilidade aos processos que fazem parte da criação e da vida das instituições museais – suas histórias, seus contextos, seus objetivos, suas memórias.
Quantas realidades podem aparecer, nos sonhos e nas lutas que fazem cada museu! Quantas pessoas, quantas vidas envolvidas na sua criação, na resistência e nas transformações por que passam essas instituições!… A luta é antiga, e no ano que vem o Brasil comemorará os duzentos anos do seu primeiro museu, o Museu Nacional/UFRJ no Rio de Janeiro. Em Sergipe eles existem há seis décadas, desde a criação do Museu Histórico de Sergipe, em São Cristóvão, mas o acesso da população ao mundo dos museus ainda tem muito o que crescer. Neste esforço, apesar de não estarem atualmente em atividade alguns deles, como o Memorial da Sergipe, da UNIT e o Museu do Homem Sergipano, da UFS, há instituições sergipanas participando de todas as edições da Primavera dos Museus, desde que ela surgiu.
Este ano, 15 instituições em Aracaju, Barra dos Coqueiros, Boquim, Itabaiana, Laranjeiras e São Cristóvão, abrem as portas ao público para mostrar exposições, falar da sua história e das suas atividades, para expor os seus desafios. Não apenas museus, mas outras instituições culturais também integram a programação da Primavera dos Museus. Em Aracaju participam: a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju; o Centro Cultural de Aracaju; o Centro de Memória da Ciência e da Tecnologia do Estado de Sergipe; o Museu da Gente Sergipana Governador Marcelo Deda; o Palácio Museu Olímpio Campos e o Projeto Tamar –Oceanário de Aracaju.
Mas em outros municípios a primavera também vai chegar, pela participação no mesmo certame. Na Barra dos Coqueiros é a Associação de Canoeiros e Usuários das Tototós do Estado de Sergipe; em Boquim, o Museu Raimundo Fernandes da Fonseca; em Itabaiana, o Museu Artístico e Histórico de Itabaiana Antônio Nogueira; em Laranjeiras, o Museu Afro Brasileiro de Sergipe e o Museu de Arte Sacra de Laranjeiras; em São Cristóvão, a Casa do IPHAN; o Museu da Polícia Militar do Estado de Sergipe; o Museu de Arte Sacra de São Cristóvão e o Museu Histórico de Sergipe.
A programação, variada e interessante, disponível em http://guiadaprogramacao.museus.gov.br/, é um convite para que as pessoas saibam da existência dessas instituições e procurem conhecê-las e apoiá-las, participando da primavera que renova, anualmente, o sonho de instituições museais fortes, cada vez mais integradas com a sociedade. Vamos aos museus!