- 04/12/2018 - 13:17

Deus nos acuda!



Aliados e meio aliados do Governo colocaram as mãos na cabeça hoje (4) ao saberem que 900 cargos comissionados serão cortados no processo de reforma administrativa.  Atualmente são mais de 3 mil cc’s, o que gera um impacto forte no orçamento público. A correria será grande e haja pedidos de intervenção em favor de fulano, ciclano e beltrano. Será um salve-se quem puder e, claro, quem tiver mais poder de influência!

 

Outra inquietação

          Foto: ASN

Enquanto não anuncia quem fica e quem sai do seu quadro de auxiliares, Belivaldo Chagas causará inquietação em muita gente e enfrentará pressão de aliados que não enxergam a importância da oxigenação da máquina pública como elemento impulsionador do desenvolvimento do Estado. A única coisa que interessa a alguns, é a ocupação de  de poder. Quem conhece o estilo Belivaldo de ser, com certeza, sabe que ele não valorizará esse tipo de comportamento dos que se dizem, de fato, aliados, mas não pensam na boa e adequada gestão da coisa pública.

Menos secretarias

Pela proposta de reforma administrativa, que já chegou a Assembleia Legislativa, haverá uma redução de 19 para 14 secretarias.  Dentre as que comporão a estrutura estão a Secretaria de Transparência e Controle; Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura; Secretaria de Estado da Justiça e de Defesa do Consumidor. Aliás, a Secretaria de Esporte, cujos secretários sempre tiveram dificuldade para trabalhar por falta de condições ficará integrada à Educação. A Cultura, também e, com certeza, a turma ligada a área vai reagir.

Economia inicial

O Projeto do Executivo com as mudanças anunciadas hoje (4) pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), já foi distribuído aos deputados estaduais que se debruçarão sobre a matéria nos próximos dias. Com a redução do número de Secretarias e de comissionados, Chagas pretende começar a sua próxima gestão, a partir de janeiro, economizando R$ 10 milhões/ano.

 

Um espacinho

Mesmo com os cortes já anunciados, vereadores de Aracaju, que dão sustentação ao prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B). esperam que o governador Belivaldo Chagas  os contemplem, pois consideram que deram importante contribuição à sua campanha.