- 09/01/2019 - 22:22

 Luciano ‘Pleno’



Conforme já anunciado por esta Coluna, o atual presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Luciano Bispo (MDB), deve assumir o mandato nessa legislatura para contrariedade de muitos. Apesar da recente decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que julgou pelo seu impedimento, nos bastidores jurídicos, fala-se que tudo  caminha para confirmar a confiança que Bispo tanto diz ter na Justiça. Luciano é acusado de crime de improbidade administrativa, em processo da época em que foi prefeito.

 

Terno pronto

A despeito dessa possibilidade concreta de Luciano assumir o mandato, o suplente e ex-deputado Robson Viana está com o terno pronto para ocupar o posto. Aqui pra nós, Robson – que passou vários anos na Assembleia Legislativa – pouco contribuiu com o Estado, além de faltar muito às sessões. Aliás, se o Regimento da Casa fosse cumprido à risca, pelo menos quatro deputados teriam perdido o mandato por falta. É isso, mesmo!

 

Pancadas em Edvaldo

A virada do ano e os primeiros dias de 2019 não estão sendo tão generosos com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira. Após conceder o reajuste do transporte coletivo nos últimos dias do ano, ele  iniciou 2019 com a paralisação dos médicos, gerando um verdadeiro caos na saúde. Junte-se a isso,as severas críticas da oposição em torno da cobrança do IPTU, já em janeiro, cuja querela jurídica permanece.

Prefeito de onde?

O deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) foi o mais bem votado na Grande Aracaju, isso é fato. Porém, essa onda de arrastador de votos, segundo ele, já o credencia a disputar uma Prefeitura em 2020. A dúvida paira apenas na sua decisão por qual cidade deve sair candidato. O parlamentar afirma ter recebido apelos, além dos aracajuanos, dos munícipes de Barra dos Coqueiros e, também, de Nossa Senhora do Socorro. Para onde o Cancão vai voar? Façam as suas apostas!

 

Medo da gota

Tem prefeito sergipano com urticária desde que soube do levantamento feito pelo Tribunal de Contas do Estado, a pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) para identificar obras paralisadas. Só em Sergipe, constatou-se cerca de  300 delas, somando um prejuízo ao erário de mais de R$440 milhões. Muitas com quase 90% concluídas, mas como elefantes brancos. Temendo punição rigorosa, a coluna recebeu a informação de que tem prefeito maquiando algumas das suas mirabolantes e caras estruturas que nunca serviram e nem servirão à comunidade. Como diria Michel Teló:”…ai se eu te pego…”

 

Mantém fora

Nem mesmo o apelo do Sindicato dos Jornalista do Estado de Sergipe (Sindijor) ao secretário secretário de Comunicação, Sales Neto, e à vice-governadora, Eliane Aquino, reintegrou os profissionais de imprensa exonerados poucos dias antes do fim de ano. Os gestores pediram um prazo de seis meses para reavaliar a medida. Se por um lado houve perda, por outro, Sales e Eliane se comprometeram que nenhum profissional da comunicação receberá menos de R$ 2.500 de salário, pouco mais que o piso da categoria que é da ordem de pouco mais de R$ 1.700,00. Há quem diga que até bem pouco tempo, alguns desses “comunicadores” que atuavam no Governo chegavam a receber pouco mais de um salário mínimo. Outros….