- 13/11/2017 - 17:07

Razão e misericórdia

A Bíblia Sagrada conta a história de um rei chamado Ezequias. Ele foi o 13º rei de Judá, e reinou por 29 anos. A Bíblia também diz que ele fez o que agradava ao Senhor Deus e foi um rei próspero porque a benção do Senhor estava sobre ele. Mas ele adoeceu, e Deus mandou o profeta Isaías dizer-lhe que arrumasse sua casa porque iria morrer daquela enfermidade. Assim que ele recebeu a notícia, orou ao Senhor dizendo: “Lembra-te, Senhor, de como tenho te servido com fidelidade e com devoção sincera, e tenho feito o que tu aprovas”. E Ezequias chorou amargamente. Deus, então, novamente fala com o profeta Isaías e diz: “Volte a falar com Ezequias e diga-lhe que eu ouvi sua oração e vi as suas lágrimas, e acrescentarei 15 anos a sua vida e darei a ele vitória sobre o rei da Assíria”.
Algumas lições preciosas nós temos com essa história. Na resposta de Deus, percebemos o que de fato chama a atenção divina. Primeiro, quando Deus diz que ouviu a oração de Ezequias, ele ouviu as razões de Ezequias. Nós também temos que ter razões para apresentar a Deus se quisermos ser abençoados, ou seja, Deus deve nos abençoar por quê? Se não soubermos cuidar de outras bênçãos que Ele nos deu em outros momentos, como vamos argumentar para que Ele nos abençoe agora? Nossos pedidos devem ter coerência, tal como teve na oração de Ezequias, quando ele disse: “Lembra-te Senhor de como andei nos teus caminhos com fidelidade.” Será que nós também poderíamos fazer uma oração como essa?
A outra lição importante é quando Deus diz: “Vi as suas lágrimas”. Quer dizer que Deus viu a fraqueza e a necessidade de Ezequias. Também precisamos ter a coragem de chorar na presença de Deus e admitir nossas fraquezas. Isso nem sempre é de forma literal, mas sim o choro da alma, a humildade de reconhecer quando estamos errados. Isso atrai a mão de Deus em nossa direção e Ele manifesta a sua misericórdia sobre nós.
Portanto, se queremos algo de Deus, precisamos aprender essas lições: ter razões para apresentar ao Senhor, mostrar a Ele que estamos fazendo por onde ser abençoados, e contar com a sua misericórdia. Quando digo apresentar razões, não quero dizer que as bênçãos vão acontecer pelo nosso merecimento, mas, sim, que as nossas razões serão coerentes com aquilo que estamos pedindo, ou seja: “Meu Deus, me dê essa benção, veja que estou procurando fazer a minha parte”. Sei que Deus, na sua infinita misericórdia, estará olhando para nós como olhou para Ezequias e fará por nós muito mais do que pedimos ou possamos imaginar, como bem disse o Apóstolo Paulo.
Um forte abraço e até a próxima oportunidade se Deus disser que sim.