- 02/12/2018 - 18:07

Saudade

Neste domingo, uma missa marcou os cinco anos de morte do ex-governador de Sergipe, Marcelo Déda. Familiares, amigos e parentes participaram do ato religioso. Para a viúva, Eliane, que é mãe de João Marcelo e Matheus, “o tempo ameniza a saudade, mas a sensação de falta não passa nunca”. Déda morreu vitimado por um câncer de pâncreas.

Orçamento

Deputados estaduais e vereadores começam a se debruçar para apreciar os respectivos projetos que tratam do orçamento financeiro para o exercício de 2019 do Estado e dos municípios. Eles só entram em recesso após aprovação da proposta em última instância. A propósito o orçamento de Aracaju teve um aumento de 2,5%, num comparativo com o ano passado.  Já o Estado terá uma receita de R$ 10 bilhões e uma receita estimada em R$ 9 bilhões.

Gargalo

O déficit da previdência é, sem dúvida, o grande gargalo para os gestores públicos. O de Sergipe, por exemplo, está na casa do R$ 1, bilhão. A assunção por parte dos poderes das suas folhas de aposentados será uma das saídas para tirar o Estado do buraco.

Pulo do gato

Para não perderem recursos do chamado fundo partidários e tempo no programa eleitoral gratuito, alguns partidos começam a se fundir para ganhar capilaridade. É o caso do velho PC do B com o novato PPL; do PPS com a Rede Sustentabilidade, e Podemos com PHS. Pela cláusula de barreira, instrumento previsto na Lei Eleitoral, as siglas têm que ter tido, nas eleições deste ano, no mínimo 1,5% dos votos válidos para deputado federal em todo o país.

Mais exigências

Pelas regras, para se manterem ativas, as agremiações precisam, também, terem atingido pelo menos 1% dos votos distribuídos em no mínimo nove Estados. Depois de idas e vindas, a regra foi aprovada, ano passado, através de Emenda à Constituição.