Comércio apresenta queda de quase 8% nas vendas da Páscoa deste ano, aponta CDL

Da redação, Joângelo Custódio

 

O comércio faturou entre 7% a 8% a menos na Páscoa deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. É o que revela a Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL). O aprofundamento da recessão econômica, o desemprego em trajetória de elevação e a queda do poder de compra dos consumidores devido à inflação provocaram os resultados negativos.

 

No final de fevereiro, supermercados de todo o país já informavam expectativa de queda a estabilidade de vendas no período da Páscoa, com as redes varejistas apostando em produtos de preço mais baixo.

 

Em entrevista ao AJN1, o gerente da CDL, Gileno Santana, disse que a recessão econômica impactou negativamente o movimento varejista durante a data. “A economia estagnada, o desemprego em todas as partes. Tudo isso contribuiu para que as vendas tivessem essa queda, se comparado com o ano passado. Mesmo quem está empregado, de carteira assinada, ficou temeroso em não gastar e não se endividar. A retração não foi apenas no setor que vende produtos da Páscoa, mas em outros da indústria também, como o fabricante de papelão”, explica.

 

Mesmo com os números apontando baixa, Gileno faz questão de reafirmar que a queda é apenas em relação ao mesmo período de 2015, tendo a economia brasileira começado a se recuperar de dezembro para cá.

 

“Aos poucos, estamos começando a nos levantar Toda hora uma denúncia de corrupção explode, mas a economia não pode parar toda vez que uma notícia dessa é revelada. A crise, iniciada ano passado, começou a perder força de dezembro para cá. E digo mais: o mês de março de 2016 já é considerado melhor que dezembro de 2015 e janeiro e fevereiro deste ano. Aos poucos, a economia se encarrega de colocar as peças no lugar. Sou otimista”, diz Gileno.

 

CDL Itabaiana

 

A Câmara de Dirigentes Lojistas do município de Itabaiana, segundo maior comércio do Estado, também informou que as vendas nesse período foram amargas. De acordo com Jamisson Ferreira, presidente da CDL da cidade serrana, a retração foi de 2%. "Se não realizássemos, no início do mês, uma campanha de liquidação, março estaria perdido", disse ele.

 

Nível nacional

 

A nível nacional, as vendas do varejo durante a semana da Páscoa foram as piores desde 2007, recuando 9,6% sobre o mesmo período do ano passado, segundo a empresa de análise de informações de crédito Serasa Experian.

 

Ainda conforme a Serasa, a queda mais intensa aconteceu na cidade de São Paulo, onde as vendas no período, de 21 a 27 de março, recuaram 11,6%. A Páscoa é a segunda data mais importante para o setor supermercadista, atrás apenas do Natal.