Ex-secretário de Capela é preso na Operação Loke

 

Da redação, AJN1

O ex-secretário do município de Capela Robervan Cruz dos Santos, o “Robinho”, e o ex-presidiário Márcio Henrique Santos Fontes, foram presos na manhã de hoje (12) em Aracaju (SE), durante a primeira fase da Operação Loke, que aconteceu simultaneamente em outros cinco estados e foi desencadeada a partir de investigações da Delegacia de Repressão a Crimes Organizados do Pará.

A dupla é acusada de integrar o núcleo de um grupo criminoso que atuava no furto e comércio ilegal de veículos, que tinham como principais alvos locadoras de veículos. “As investigações apontam que Robinho, junto com o Márcio, levou cerca de 70 veículos para serem ‘esquentados no Detran do Pará”, revelou o delegado Hugo Leonardo, que compõe a equipe da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV).

As ações realizadas nesta segunda-feira aconteceram nas cidades de Belém (PA); Maringá (PR); Imperatriz (MA); Arapiraca (AL); Conceição do Jacuípe (BA) e em Aracaju (SE), e resultaram nas prisões de 22 suspeitos e na recuperação de cerca de 70 veículos. O esquema montado pela organização criminosa contava com o envolvimento de funcionários do Departamento de Trânsito do Pará, que eram os responsáveis por “legalizar”, através do uso de documento falsos, os veículos furtados das locadoras.

“Os suspeitos alugavam os carros em locadoras de várias partes do país e conseguíam, através de documentos falsos, fazer a transferência de propriedade”, explicou o delegado Kássio Viana. Ele disse ainda, que o grupo chegava a falsificar contratos sociais das empresas e procurações para depois transferir a propriedade dos carros, que eram comercializados a preço de mercado.

Existe a suspeita, que a dupla sergipana teria encaminhado pelo menos 70 veículos para o Pará. “Tanto Márcio, quanto Robinho, alugavam veículos usando o nome deles ou documentos falsos em locadoras de Sergipe, Bahia e São Paulo. Depois levavam para o Pará e com procuração falsa passavam para um comprador”, destacou o delegado Hugo Leonardo, acrescentando, que além de ter sido secretário em Capela, Robinho atuou como gerente em uma loja de revenda de veículo de propriedade de um ex-prefeito, que atualmente se encontra preso. As investigações irão prosseguir e novas prisões não são descartadas pela polícia.