Polícia prende um dos suspeitos de praticar arrastão durante missa

Da redação, AJN1

Na tarde desta terça-feira (2), policiais do 1º Batalhão da Polícia Militar de Sergipe prenderam um dos suspeitos de ter praticado arrastão durante a realização de uma missa na Paróquia São Mateus, no bairro Aruanda, no último domingo (30).

De acordo com o comandante de policiamento da capital, tenente-coronel, Vivaldy Cabral, o indivíduo, identificado como Jorge Luiz Xavier da Silva, 19 anos, de alcunha “Pintinho”, foi localizado em sua residência, no bairro Santa Maria, após denúncias anônimas.

“Conversei pessoalmente com ele no momento da prisão e ele demonstrou bastante frieza, nenhum tipo de sentimento com relação à gravidade do ato. Ele disse que ia praticar um roubo numa mercearia quando ele e os outros dois comparsas resolveram entrar na Igreja, porque observaram muitos veículos estacionados e eles acharam que poderiam ganhar com isso”, explicou o comandante, ao revelar que, na divisão dos objetos roubados, Jorge Luiz ficou com um aparelho celular e R$50.

Segundo o comandante Vivaldy, o suspeito tem passagens pela polícia por roubos e já revelou os nomes dos comparsas, que devem ser presos nas próximas horas. “A Polícia trabalha e coloca os bandidos na cadeia”, completou Vivaldy.

Jorge foi encaminhado ao Departamento de Repressão a Roubos e Furtos (Derof), no Centro da capital, onde encontra-se custodiado.

O arrastão

O fato ocorreu por volta das 8h48 do último domingo (30), durante uma missa na igreja São Mateus, no bairro Aruanda. A ação foi registrada pelas câmeras de segurança do templo. Nas imagens, que viralizaram nas redes sociais, é possível observar os assaltantes chegando à igreja. Um deles rendeu um popular que está na porta e permanece na parte externa, dando cobertura aos dois comparsas.

De arma em punho, a dupla ignora que a celebração realizada pelo padre Benjamim Júnior está em andamento e rende os fiéis, que se preparam para rezar o Pai Nosso. Atônitas, as pessoas entregam aparelhos celulares, dinheiro e objetos de valor, que são colocados em uma mochila. Após o arrastão, os criminosos fogem em direção a um matagal. A polícia foi acionada e chegou a realizar buscas, sem sucesso pela área.