Aracaju tem 14 casos de microcefalia confirmados pela Secretaria Municipal de Saúde

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), divulgou o balanço de casos de Microcefalia, cujo aumento está relacionando com o Zika Vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, assim como o número de casos de Dengue e Chikungunya, também transmitidas pelo mesmo vetor. Até o momento, em Aracaju, existem 26 casos notificados de Microcefalia, sendo que 14 destes foram confirmados, oito estão descartados e quatro ainda estão sob investigação.

 

A Microcefalia é uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Normalmente ela é causada por fatores como uso de drogas e radiação, mas na epidemia atual, a causa está relacionada ao Zika Vírus. Os bebês nascem com perímetro encefálico menor que o normal, que habitualmente é superior a 33 cm.

 

Dengue

 

De acordo com os dados registrados pela Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS) através do Sistema de Informação de Agravos e Notificações (Sinan), até o momento, 3.829 casos de Dengue foram notificados este ano, destes, 1.822 casos foram confirmados. Com relação à Febre Chikungunya, 126 casos foram notificados, sendo que 18 foram confirmados, 93 descartados e 11 estão sob investigação.

 

Segundo a diretora de Vigilância em Saúde, Tereza Cristina Maynard, apenas nos casos do Zika Vírus não há notificações. "Não há casos notificados no Sistema de Informação de Agravos e Notificações (Sinan) relacionados ao Zika, pois a orientação é notificar apenas os casos confirmados, e no município de Aracaju não foi confirmado ainda nenhum caso via laboratório", destacou a diretora.

 

Orientações

 

Muitas pessoas acumulam água de maneira inapropriada, lugares como lavanderias e depósitos de água sem a devida instalação de telas de proteção contra o mosquito e essa é a principal preocupação das equipes do combate ao Aedes aegypti, pois continuam sendo as áreas mais propícias para o aparecimento dos focos. Além disso, pneus, garrafas e recipientes abandonados em quintais podem acumular água limpa e parada oferecendo condições ideais para o mosquito se reproduzir.

 

Combate ao Aedes aegypti

 

A SMS vem realizando trabalho constante, de segunda à sábado, para manter o índice de infestação do Aedes Aegypti baixo. De janeiro até setembro deste ano, já foram realizados aplicação do Carro Fumacê em 18 bairros de Aracaju (numa parceria com o Governo do Estado), mais de 6.625 visitas de monitoramento quinzenal dos pontos estratégicos de proliferação do Aedes aegypti. Os agentes de Endemias também realizaram mais de 640 mil visitas domiciliares.

 

Com essa nova situação epidêmica de Microcefalia – de agosto até novembro foram registrados em Aracaju 26 casos, quando nos últimos cinco anos a média anual foi de dois casos – está sendo reforçado ainda mais o combate aos criadouros do mosquito. "Além dos agentes de Endemias, os agentes Comunitários de Saúde vão estar em campo, neste combate. A prefeitura também solicitou a ajuda do Exército, que disponibilizará 33 soldados, já a partir deste sábado, 12, para que possamos fazer uma grande força tarefa de combate ao mosquito Aedes aegypti", destacou Raulinna Gomes, coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

 

Segundo o coordenador da Rede de Atenção Primária (Reap), Murillo Oliveira, todos os profissionais das equipes de saúde da família estarão engajados nestas ações. "Toda a atenção básica, que incluem os profissionais das unidades de saúde, estará alertando a população para esses casos de Microcefalia e também orientando sobre como se prevenir do mosquito. O acompanhamento das gestantes também está sendo um trabalho essencial e intensificado, para que elas se sintam acolhidas e que não se desesperem neste momento, pois estamos numa situação de alerta, não de pânico", finalizou.