Casos de covid-19 caem 22% nos EUA e geram expectativa de fim da pandemia

 

Apesar do amplo acesso as vacinas, os EUA têm uma das maiores taxas de mortalidade do mundo para a covid-19 — pouco mais de 1 em cada 500 americanos. Mas há sinais de que a pandemia pode estar chegando ao fim. O número de novos casos caiu 22% nas últimas duas semanas e as hospitalizações diminuíram 20%, com o surto da variante delta perdendo força. E as mortes também estão em queda, segundo reportagem do “Financial Times”.

A queda nos números da pandemia está atraindo os trabalhadores americanos de volta aos escritórios, segundo informa a Dow Jones Newswires. Na semana passada, uma média de 36% da força de trabalho havia retornado aos escritórios nas 10 principais cidades monitoradas pela Kastle Systems — a mais alta desde o início da pandemia. Há um mês, essa média era de 31%.

Essa média deve subir mais à medida que as empresas indicam que darão as boas-vindas aos funcionários nas próximas semanas. BlackRock, Whirlpool e Lions Gate Entertainment estão entre as empresas que definiram datas de retorno aos escritórios para outubro e início de novembro.

Apesar do aumento das taxas de infecção e mortes em alguns Estados do Meio-Oeste e do Nordeste, alguns especialistas em saúde acreditam que os EUA podem estar vencendo a batalha contra a cepa delta. Exigência de vacinação, aplicação de doses de reforço e desenvolvimento de uma pílula antiviral para tratar a covid-19 são ferramentas vitais que podem domar o vírus, dizem eles.

A vacinação de crianças e a aprovação da pílula antiviral da Merck pode acabar com a pandemia nos EUA e dar início a uma fase endêmica da covid-19 — onde o vírus continua a circular, mas não representa o risco extremo que representa agora, afirmou Scott Gottlieb, membro do conselho da Pfizer, na semana passada.

Mas com uma taxa de vacinação plena de 56%, bem abaixo de outros países avançados, os EUA ainda têm uma população de não vacinados de cerca de 65 milhões de pessoas. Especialistas alertam que é urgente subir a taxa de vacinação para evitar surtos futuros e tornar a atual tendência de queda nos casos, hospitalizações e mortes definitiva e não apenas pontual.

Fonte: Valor