- 08/02/2020 - 08:00

Agora vai: Edvaldo Nogueira se filia ao PDT em 10 de março



Anderson Christian

Agora é oficial: depois de uma novela que durou quase um ano – o colunista lembra vivamente de matéria que produziu para este Correio de Sergipe lá pela metade do primeiro semestre do ano passado tratando do assunto – o martelo está batido e Edvaldo Nogueira, prefeito de Aracaju, já tem data para se filiar ao PDT. Para que a informação tenha a máxima fidelidade ao fato em si, vamos reproduzir partes da nota oficial lançada pela assessoria de Edvaldo nesta sexta, 7. “O ato de filiação do prefeito Edvaldo Nogueira ao Partido Democrático Trabalhista (PDT) ocorrerá no próximo dia 10 de março. A data foi definida em reunião, nesta sexta-feira, 7, entre o prefeito e o presidente estadual da legenda, deputado federal Fábio Henrique. O evento terá a presença do ex-ministro Ciro Gomes e do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, entre outras lideranças”. Dito isto, nada mais natural do que se analisar o timing de Edvaldo: o prefeito de Aracaju, buscando sua reeleição, ao menos até o momento tem dado demonstrações de maturidade política. Não se envolveu em atropelos, não se deixou levar pelo disse-me-disse proposto constantemente pelos seus adversários e, pouco antes de um mês para o encerramento do prazo máximo de filiação para quem pretende concorrer as eleições de 2020, se filiará com toda a pompa e circunstância, fazendo do evento uma ação de pré-campanha das mais interessantes, ao menos quando a comparamos com atividades similares ocorridas até o momento em relação as eleições aracajuanas. E é o próprio prefeito, ainda na nota oficial lançada, que detalha o evento que vem por aí. ““Chegamos a uma data para o ato da minha filiação ao PDT em harmonia com a agenda da Direção Nacional, tudo bem dialogado e com a presença de Ciro Gomes, Carlos Lupi e outras lideranças nacionais. É um momento importante para mim, para a minha vida política e motivo de grande alegria”, declarou o prefeito”. Percebe, leitor e leitora, como a coisa toda está bem amarrada, do ponto de vista do que a coluna chamou de “maturidade política” da parte de Edvaldo? Também em relação ao seu novo e principal aliado nesta movimentação partidária, mais uma vez a nota denota – perdão pela cacofonia – uma relação tranquila, visivelmente madura. Sintam a “vibe” de Fábio Henrique, em fala que também está na nota “edvaldista”. “Fábio reafirmou a importância da chegada de Edvaldo ao PDT. “Estamos recebendo o prefeito da capital, um prefeito muito bem avaliado, que tem uma história política muito parecida com a do PDT, de defesa dos trabalhadores. Para nós, é motivo de muita alegria, pois fortalece o nosso partido. Temos lideranças do interior que estão vindo para o PDT motivados pela filiação do prefeito Edvaldo. Foi tudo muito harmonioso, sem nenhum conflito, um passo muito importante do partido”, definiu”. O colunista não quer dar uma de arauto das notícias “exclusivas”. Mas lá atrás, quando ouviu Edvaldo sobre as insistentes informações de que ele se filiaria ao PDT, antecipou o bom relacionamento entre os dois, sendo que Fábio já havia disponibilizado o partido ao prefeito. O tempo passou, as ocorrências da política sergipana seguiram seus cursos normais, movimentações oposicionistas se sucederam, Edvaldo esteve sujeito a tradicional saraivada de críticas, normais pelo cargo que ocupa e que é desejado por quem se opõe a ele e, dentro do espectro governista em Aracaju, até um retumbante rompimento ocorreu, com o parceiro histórico de Edvaldo Nogueira, o PT, optando por romper com ele e lançar candidatura própria. Em meio a todos esses acontecimentos, alguém viu Edvaldo dando uma declaração mais dura? Alguém identificou, ao menos publicamente, uma atuação do prefeito em direção a tentar resolver as questões eleitorais vindouras de forma atabalhoada ou apressada? E, por fim, mas não menos importante, nesse tempo todo foi possível identificar alguma movimentação do prefeito que denotasse desvio flagrante de foco da gestão municipal? Lógico que Edvaldo agiu, se movimentou, buscou soluções para imbróglios políticos e mesmo para chegar a definição partidária que optou. Mas o mais interessante disso tudo é que ele agiu com extrema discrição, não permitindo que sua administração fosse contaminada pelas suas necessidades políticas. Aí, quando observamos que a maior crítica do PT, por exemplo, a Edvaldo é de que ele não daria a devida atenção aos “amigos” – leia-se, aos aliados –, só resta elogiar a postura dele, afinal ele está prefeito, tem responsabilidade e compromisso é com a cidade e ponto. E quando vemos, para somar mais um exemplo, que a principal crítica dos opositores a Edvaldo é que ele realiza obras supostamente eleitoreiras, mais uma vez cabe um elogio: estando prefeito, o que se deve esperar dele? Claro que obras, eleitoreiras ou não, dependendo do ponto de vista. Assim, é necessário reconhecer: a maturidade política de Edvaldo Nogueira, que tem conduzido seu projeto político sem deixar que isso interfira radicalmente em sua atual gestão, merece e deve ser reconhecida. E ponto!

Sukita fala

Aproveitando texto produzido pelo sempre competente Munir Darrage no site FaxAju, a coluna reproduz algo que deve, de agora em diante, gerar muita preocupação à classe política sergipana. É que, aos poucos, parece que o ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita, vai falar o que sabe sobre o que ocorre e o que já ocorreu nos bastidores políticos de nosso Estado. Senão, vejamos. “O ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita, voltou a declarar que é pré-candidato a prefeito do município de Capela e manda um duro recado para o deputado estadual Zezinho Sobral, a quem ele qualifica como traidor e responsável pela sua perda do mandato”.

Sukita fala 2

“Sukita gravou um áudio, que foi publicado em alguns grupos de WhatsApp, onde ele faz duras críticas ao deputado Zezinho, ao ex-deputado federal André Moura, ao ex-prefeito de Capela, Ezequiel Leite e uma pessoa a quem ele chama de Astrogildo. Manoel Sukita alega que recebeu um vídeo onde o deputado Zezinho Sobral teria denegrido a sua imagem. “Eu vi o senhor me esculhambando nas redes sociais. É assim que o senhor agradece a quem ajudou a te eleger. Você tomou o meu partido e deu para Astrogildo, que não tinha chance nenhuma de se eleger. Tomou não, você roubou o meu partido e isso para me prejudicar. E ele, se fosse gente do bem, não aceitaria. Mas tem caráter igual ao seu”, acusou Sukita.

Sukita fala 3

“Durante o áudio, embora aparente muita calma, o ex-prefeito foi duro em suas palavras, afirmando que “você foi emprestado para Laranjeiras e lá ninguém te quer. Vamos andar comigo e você vai ver as pessoas me convidando para ser candidato lá. Você quer colocar seu irmão, mas não vai conseguir, porque ninguém te quer lá, eu pude ver o quanto você é odiado”, disse Sukita. Mas o que chamou a atenção em sua fala foi a afirmação de que “quem colocou a Capela nas páginas policiais foi o Ezequiel, André, Zezinho e Astrogildo”. Embora não haja informações de que algum dos acusados pelo ex-prefeito tenham sido presos, ele os responsabiliza de o município aparecer nas “páginas policiais””.

Sukita fala 4

Após reproduzir a matéria de Munir Darrage, a coluna faz suas observações. Não se enganem: Sukita é uma das pessoas mais bem informadas sobre a política sergipana. E isso não se refere a um conhecimento, digamos, analítico. A verdade é que Sukita, nos últimos 15 anos, viveu pessoalmente boa parte dos acontecimentos que, com maior ou menos importância, definiram a realidade política que Sergipe vive na atualidade. Sem querer tocar “fogo no parquinho”, a coluna torce para que Sukita fale cada vez mais. No mínimo teremos uma noção cada vez mais clara de como as coisas acontecem, politicamente falando, em nosso Estado. Parafraseando Nelson Rodrigues, caso Sukita fale tudo o que sabe, conheceremos a “política como ela é”. Sem mais.

Pra fechar!

O governador Belivaldo Chagas disse durante entrevista à Rádio Xodó, nesta sexta-feira (07), que passará a valer a partir de março de 2020, a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços- incidente sobre o GNV (Gás Natural Veicular) de 18% para 12%. O decreto, assinado em 09 de dezembro de 2019, visa estimular o aumento do consumo de GNV em Sergipe e contribuir para redução de poluentes no ar.

Pra fechar! 2

Na entrevista, o governador ressaltou que o governo do Estado tem feito a sua parte, dentro das possibilidades, a exemplo da redução do ICMS sobre o GNV e gás de cozinha. “Nós reduzimos ICMS para o GNV, para gás de cozinha, para o milho, dentro daquilo que foi possível fazer. Na questão do gás veicular, a ideia é, se eu baixo o ICMS do gás, ele ficará mais acessível e com isso  a gente pode ter um volume maior de veículos que serão adaptáveis para rodar a gás, automaticamente, teremos um consumo maior, e as empresas que vendem os esses kits, vão vender mais. Desta maneira, a gente vai ter como arrecadar sem causar prejuízos para o Estado”, declarou o governador.

FRASE

“Soma dos esforços e diálogo constante geram resultados para atender demandas do povo”

Laércio Oliveira, dep. Federal

Sobre luta para que BR101 seja finalmente duplicada