- 04/11/2019 - 17:11

Bem Vindo Novembro Azul

Outubro foi um longo mês pintado de rosa. Foram inúmeras ações explicativas e de conscientização sobre câncer de mama que abrem os olhos da sociedade para o problema que é ter a doença e lidar com a doença em nível de saúde pública. Fomos a inúmeros eventos e tentamos sensibilizar atores estratégicos da importância de repensarmos nosso olhar sobre a a doença. Agora o mês rosa foi embora e chega a hora de olharmos para os homens. Não são só as mulheres que padecem de doenças graves e o câncer de prostata também acontece em inúmeros lares. É  uma doença potencialmente curável quando do diagnostico precoce e varia desde tumores indolentes até tumores de alta agressividade.

A próstata

A prostata é uma glândula masculina que faz parte do sistema genital masculino. Sua principal função é produzir um líquido fluido nutritivo que compõe cerca de 30 % do semen ejaculado. As principais doenças relacionadas a prostata são o câncer, a prostatite e a hiperplasia benigna da prostata.  Ela fica localizada na pelve, com relação direta com a bexiga, reto e uretra. Sua posição anatômica permite que a glândula seja tocada com a ponta dos dedos através do reto que levou a avaliação rotineira pelo toque retal.

O câncer de Próstata

O Câncer de próstata segue como a neoplasia sólida mais comum em homens e a segunda causa de morte por câncer em homens. Segundo o INCA é  responsável pelo adoecimento de quase 70 mil homens anualmente. Apesar dos avanços no tratamento cerca de 25 % dos homens diagnosticados morrem pela doença. Em contrapartida ao câncer de mama, a grande maioria é diagnosticada em estagio inicial e intermediário e 20% em estagio avançado e temos visto ums diminuição continua possivelmente por conta das capanhas de conscientização e estratégias de rastremaento.

Vamos ou não vamos rastrear ?

Rastrear é utiliza-se de métodos diagnósticos para procurar doenças iniciais em indivíduos saudáveis sem sintomas clínicos. Classicamente na mama utiliza-se a mamografia e para a prostata o toque retal e o PSA, um exame de sangue que mede uma proteína produzida exclusivamente pela prostata.

Esse rastreamento tem sido questionado e gerado controvérsias pois assim como diagnostico tumores de alta agressividade, faz diagnostico de doenças indolentes que dificilmente evoluiriam levando a tratamentos agressivos sem necessidade. A pergunta é : conseguimos saber quem é o tumor de alta e o de baixa agressividade pelo rastreamento ? A resposta é não.  Vamos deixar de diagnosticar precocemente um tumor agressivo porquê vamos diagnosticar outro indolente ?  Questionável e polêmico.

Quem tem a doença ?

Qualquer homem pode ter câncer de prostata mas a idade, a raça e a história familiar são fatores importantes.

Pacientes diagnosticados com doença de baixo risco tem sido observados com toque retal, PSA e exames de imagem. Pacientes com doença de pefil mais agressivo recebem o tratamento completo com boas chances de cura.

No Brasil

A sociedade Brasileira de Urologia recomanda que homens a partir dos 50 anos devem procurar profissional especializado para avaliação individualizada. Homens de raça negra ou com parentes de primeiro grau com câncer devem iniciar o rastremento aos 45 anos. Após os 75 anos realiza-se rastremento para quem possui expactativa de vida acima de 10 anos.

Mulheres têm que se cuidar, homens também. Vamos juntos tentar mudar a realidade dessas doenças no nosso país.

Até semana que vem !