- 19/03/2020 - 15:18

Coronavírus e a mudança que não pode ser dimensionada

 

Comecemos com um chavão: é tudo muito novo e imprevisível. Sim, é chavão, mas é uma imensa verdade. A crise desencadeada a partir da China e alastrada agora pelo mundo, Brasil incluso, fez com que um minúsculo vírus, o Covi-19, que ao invadir nosso organismo nos transforma em portadores da gripe chamada Coronavírus, tem consequências ainda imprevisíveis em todos os segmentos da sociedade.

E a política não fica de fora desse precipício que está sob os pés de todos nós. A começar pelas autoridades constituídas, especialmente as que ocupam cargos no Executivo. É que, em que pese o fato da saúde pública nacional já não ser lá essas coisas, enfrentar algo inédito não é fácil para ninguém, vide países como Itália e Espanha, cujos sistemas públicos e privados de saúde também estão em colapso diante da agressividade da contaminação pelo Coronavírus.

Daí que parece ao colunista uma atitude extremamente irresponsável tentar culpar governantes por conta do medo disseminado de se contrair o vírus. Simplesmente não há protocolos previamente estabelecidos para se enfrentar uma situação dessas e ponto. Claro que as bobagens do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) têm que ser criticadas, até pela irresponsabilidade dele no trato com a doença até em si mesmo, levando risco para as pessoas que o idolatram e vão ao planalto para conhece-lo, apertar sua mão e beijá-lo. Mas nem por isso se pode deixar de levar em consideração que o governo dele, em termos técnicos, está fazendo a sua parte.

Mesma coisa pode ser dita dos governo estadual, a cargo de Belivaldo Chagas (PSD), e municipal, a cargo de Edvaldo Nogueira (PDT), assim também como da maioria dos prefeitos sergipanos. Todos estão tomando precauções necessárias e medidas possíveis. Mas, mesmo assim, não é possível prever o que vem por aí nas próximas semanas. E isso é extremamente preocupante, mas não pode, se maneira alguma, ser utilizado pela oposição, especialmente no âmbito municipal, pois isso seria a pior forma de utilizar a saúde da população como trunfo político/eleitoral. Aliás, para ser bem claro, a possibilidade de algum grupo ou alguma candidatura se utilizar da pandemia de Coronavírus para atacar adversários que estejam no comando de prefeituras só pode ser tratada pelo nome que melhor lhe define: canalhice.

Dito isso, vamos para o que deve ocorrer nas eleições deste ano: claro que é cedo para acretar em cheio o que deve vir por aí. Mas deveremos ter as eleições mais frias e com menor participação do eleitorado em todos os tempos. Sim, porque mesmo que o pico da pandemia esteja previsto para daqui a 10, 12 semanas, reduzindo-se a partir daí e, se Deus quiser, passando totalmente o perigo daqui a 20 semanas, mas aí já estaremos a cerca de um mês das eleições. Campanha que é bom, nada!

Aglomerações em comícios, caminhadas e afins, nada também! E a população, que já não anda lá muito feliz com o desempenho daqueles em que votou, aí seja em qualquer esfera institucional e de poder, vai avaliar bastante se valerá mesmo a pena sair de casa, enfrentar filas e, finalmente, votar. Ou seja: mais do que nunca será preciso os candidatos realmente o que mostrar. Seja em ações realizadas ou em propostas críveis. E o palco disso tudo será, também mais do que nunca, a internet. E, nesse caso, as preocupações com as fake news será a tônica das eleições, especialmente da parte de quem deve garantir a lisura das eleições, no caso a Justiça Eleitoral. Enfim, estamos ainda sem um horizonte definido em relação ao que o Coronavírus pode e deve fazer à nossa saúde, aí se enquadrando a pública e a privada, além, é claro, da individual, da nossa e da nossa família.

Mas é possível, sim, imaginar que, ao menos as próximas eleições, serão totalmente diferentes de tudo o que já vimos até agora. Se isso será necessariamente ruim, não se sabe. Mas é provável que a baixa participação popular acabe gerando uma movimentação em um sentido que a coluna já defende há tempos: o fim da obrigatoriedade do voto, tornando facultativo um direito que, por ser democrático, deveria já começar a exercer justamente a democracia ao oferecer à população a chance de escolher se vai votar, se quer votar, ou não.

LEGENDA

Se alguém utilizar o Coronavírus pra fazer campanha, desconfie

Banese informa

Ainda sobre Coronavírus, vamos a nota oficial do Banese. “O Banco do Estado de Sergipe (Banese) está atento à saúde e segurança de seus clientes e colaboradores, monitorando a situação e os impactos do novo coronavírus, chamado COVID-19, e procurando seguir todas as diretrizes estabelecidas pelo Ministério da Saúde. Para garantir a tranquilidade da comunidade, o banco tem orientado o uso dos canais digitais: aplicativo Banese, internet Banking e Alô Banese 3218-2020 (capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 284 3218 (demais regiões). Tudo de forma rápida e segura, a qualquer hora e lugar, e sem exposição a riscos. Saldo, pagamento de contas, transferência de dinheiro e contratação de serviços devem ser feitos via aplicativo ou pela internet. 

Banese informa 2 (COM FOTO – ACCOLUNABANESE)

“O Banese também vai prorrogar o pagamento de dívidas dos profissionais liberais, além das micro e pequenas empresas por 60 dias. A medida entrará em vigor para casos onde os empréstimos estejam com pagamento em dia. Em relação ao atendimento em agências, a instituição autorizou o trabalho em home office para colaboradores com idade mínima acima de 60 anos, grávidas, imunossuprimidos, diabéticos, portadores de doenças cardiovasculares ou pulmonares e em tratamento de câncer. Faremos um contingenciamento de atendimento nas agências, com diminuição na ocupação dos assentos nas unidades e manutenção de 1m de distância entre as pessoas. Também vamos limitar a entrada do autoatendimento e gerenciar o fluxo do lado de fora das agências. Estamos levando o cenário a sério, procurando seguir as orientações de especialistas e órgãos de saúde, e tomando medidas extras para limpar superfícies e espaços públicos em nossos pontos de atendimento. Contamos com a compreensão, o cuidado e a cooperação de todos. Juntos somos mais fortes”.

Shoppings reduzem

Nota do FaxAju, bastante pertinente. “Dois shoppings center de Aracaju – o Jardins e Riomar – começam a funcionar, a partir desta quarta-feira (18), das 10 às 20 horas, em razão do coronavírus. Segundo um dos lojistas com lojas em todos os supermercados, até domingo os shoppings serão fechados, porque os funcionários estão com receio de contatos com consumidores e se recusam a atendê-los. Em Aracaju, segundo um empresários do setor comercial, todos os lojitas que têm pequenas lojas nos shoppings “começam a ficar desesperados” com a situação, em razão das consequências que podem provocar ao fechamento, já que não têm capital de giro suficiente para pagar a salários sem a venda de seus produtos. Disse ainda que a maior reclamação, além da falta de estrutura financeira para suportar o fechamento das lojas, é com o pagamento dos alugueis altos e do condomínio, que não são dispensados pela empresa que administra os shoppings, o que praticamente duplica os gastos, sem que haja venda. Desde o final de semana que houve uma queda na presença de público nos shoppings de Aracaju e, já nesta quarta-feira percebeu-se uma redução drástica nas vendas. A população está aterrorizada com a expansão do coronavírus e atende ao apelo de confinamento em suas residências”.

Necessário ao transporte

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs) por meio da Diretoria de Transportes (Ditransp), informa que em decorrência da pandemia do Corona Vírus, fica determinado que os motoristas, cobradores e funcionários dos guichês de passagem que trabalham nos ônibus que fazem o transporte intermunicipal de passageiros, utilizem máscaras e luvas. As empresas do transporte intermunicipal devem disponibilizar também álcool em gel a 70% nos veículos para uso da população. A Ditransp informa ainda que os serviços de emissão de carteira, perícia e renovação no setor de passe livre, que fica no Ceac do Terminal Rodoviário José Rollemberg Leite, conhecido como Rodoviária Nova, estarão suspensos até o dia 01 (primeiro de abril). As medidas adotadas têm o intuito de prevenir os usuários desses serviços contra a propagação do vírus.

Laurinho no PTC

O presidente nacional do PTC, Daniel Tourinho, convidou o empresário Laurinho Menezes para filiar-se ao partido. Tourinho reforçou a importância da filiação como parte de um projeto de pré-candidatura de Laurinho a prefeito de Aracaju. O convite foi acompanhado do presidente estadual do PTC, João Nascimento. Segundo Nascimento, que abonou a ficha de filiação, o partido buscará em 2020 atuar em municípios estratégicos no país, e com nomes que representem uma novidade na disputa, com experiência e qualificação para o cargo. Satisfeito e até surpreso com o convite, Laurinho conversou com a família e amigos antes de tomar a decisão. Ele aceitou filiar-se ao PTC após uma conversa com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa, partido ao qual estava filiado.

FRASE

O desafio é grande, mas com a boa política é possível contribuir com o desenvolvimento da cidade e sua gente”

Laurinho Menezes. Empresário

Sobre a possibilidade de ser pré a prefeito de Aju