- 18/02/2020 - 08:00

Danielle Garcia, André Barros e a questão de gênero



Anderson Christian

christianjor@gmail.com

O colunista não considera “mimimi” seja qual for a discussão sobre preconceito de gênero. É simplesmente um tema absurdamente pouco discutido na sociedade, a ponto de termos crimes contra as pessoas apenas por questões identitárias ligadas ao gênero. Homofobia não é apenas crime, é um horror. Discrepância salarial entre homens e mulheres no exercício das mesmas funções não é apenas preconceito, é uma palhaçada mesmo. Enfim, não tem muito o que dizer sobre algo que já nem deveria merecer o debate por uma razão muito simples: tire o gênero, o que sobra é que somos todos iguais. E, colocando o gênero novamente, além das diferenças orgânicas, não há nada mais que nos coloque diferentes uns dos outros. E isso vale para cor, etnia, cultura, religião e, enfim, para a porra toda – perdão pela palavra agressiva por partindo colunista, mas é que não faz sentido dividir as pessoas, ainda mais em tempos em que as divisões são flagrantemente artificiais, atendendo a interesses bem específicos desse ou daquele grupo, desse ou daquele interesse econômico. Assim, para a coluna, nada de se tratar diferentes gêneros de forma diferente. Temos que tratar todos os gêneros de forma igualitária, ainda que seja latente que algumas lutas, a exemplo das mulheres, dos homossexuais, trans e outras variantes, mantenham-se necessárias até como forma de alertam, de não se baixar a guarda de maneira alguma antes que as conquistas sejam, de fato e definitivamente, parte do tecido social, com a igualdade não sendo mais tratada nem como conquista, mas como algo tão cotidiano como o ar que respiramos. E ponto. Feito esse preâmbulo, a coluna vai direto ao ponto: o mal estar criado na semana passada a partir da emissão da opinião do jornalista André Barros sobre a pré-candidata a prefeitura de Aracaju pelo Cidadania, Danielle Garcia. Para André, problemas com o IPTU em um imóvel da delegada poderiam sinalizar que ela não teria cuidado como deveria de um bem seu, o que poderia, por sua vez, ser um indicativo de que ela pode não ser talhada para o exercício de um cargo Executivo da importância e relevo que é o comando da prefeitura aracajuana. O colunista tem cá suas dúvidas se isso é válido. Aliás, nesse mesmo tema, a coluna já até havia se posicionado contra a crítica à pré-candidata por algo de foro particular. E, de mais a mais, dívidas, quem não as tem? Na mesma coluna em que se posicionou contra a “crucificação” de Danielle por conta do seu IPTU, argumentou-se que declaração dela, meio que em tom de ameaça, é que deveria causar mais preocupação em que analisa a política e acompanha o desenrolar dos fatos nesse período de pré-campanha em Aracaju. Pois bem, André retomou o assunto do IPTU na semana passada e foi acusado de misógino. Inclusive Danielle recebeu uma série de apoios dentro de seu partido reforçando o caráter preconceituoso com que André teria se dirigido a ela. E é aqui que a coluna discorda frontalmente: é que apesar de não considerar relevante para o pleito o fato de alguém dever ou não IPTU, pois isso pode acontecer, especialmente em caso de imóveis que se encontram alugados, também coluna não vê no questionamento de André nenhum resquício de machismo, misoginia ou preconceito contra Danielle pelo fato dela ser mulher. Ora bolas, considerar que alguém pode não ter a capacidade de administrar algo tão complexo como uma cidade por possíveis falhas em relação a tributos devidos – mais uma vez reforçando: para este colunista, esse tema não resiste a uma campanha, ou seja, não se mantém como assunto nem para engrandecer as chances de que está em dia com o IPTU e nem para desmerecer quem o atrasou, ok? – é absolutamente normal numa disputa eleitoral. E isso não pode ser considerado um ataque por conta do gênero justamente porque faz parte do jogo em que todos os jogadores (pré-candidatos) são, ou ao menos devem ser, iguais. Daí que alguém ser criticado porque deve não pode ser levado para a questão de gênero. Para Danielle, a coluna deseja uma campanha esclarecedora, em que ela se mantenha firme diante dos inúmeros questionamentos que ainda irá ter que responder. E a André Barros, nossa solidariedade, mesmo mantida a discordância sobre o quão importante, para o debate geral, saber se alguém deve ou não IPTU. Agora, transformar isso em uma guerra de gênero, por favor, aí também já é um pouco demais. O eleitorado aracajuano merece mais. Bem mais!

Assino embaixo

Não é o mesmo assunto, ipsi literis, mas tem a ver e a coluna republica interessante nota do site NE Notícias. “Infelizmente, e o que é pior, logo cedo, políticos resolveram bater boca escancarando interesses nas eleições que só ocorrerão em outubro. Só há algo de positivo: botaram a cara logo cedo. A disputa deve ser, única e exclusivamente, de propostas, programas de governo. O resto, como bate-bocas, por exemplo, tudo isso, é um grande desserviço à apresentação de pré-candidatos. Que esqueçamos as brigas pessoais e lembremos apenas do que verdadeiramente interessa: como melhorar Aracaju?”. Ou seja: em termos do que foi analisado na coluna logo acima, a diferença está apenas no fato de que o “bate-boca” infrutífero de seu entre uma candidatura e um jornalista que, de forma legítima, a questionou.

Grande notícia

A Prefeitura de Aracaju pagará os salários de todos os servidores da administração municipal, referente ao mês de fevereiro, antecipadamente, nesta sexta-feira, 21. O anúncio foi feito pelo prefeito Edvaldo Nogueira, através das suas redes sociais, na tarde desta segunda-feira, 17. Segundo informou o gestor, todos os trabalhadores ativos e inativos terão o pagamento creditado em conta, na data, pela manhã.  Com a medida, a gestão completa 38 meses honrando com o compromisso do salário em dia, firmado com os servidores.

Grande notícia 2

“Hoje quero dar uma bela notícia. O Carnaval se aproxima e resolvemos, com muito esforço e muita economia, pagar a folha dos servidores no dia 21, sexta-feira, antes do feriado prolongado. Logo pela manhã, o pagamento estará na conta de todos os trabalhadores ativos e inativos. É um esforço que estamos fazendo para melhorar, cada vez mais, a vida das pessoas. É um compromisso que fazer questão de honrar com os servidores municipais”, destacou o prefeito.

Grande notícia 3

Com a antecipação do pagamento dos salários de fevereiro, a atual gestão completa 43 folhas salariais quitadas. “São mais de R$ 3,6 bilhões injetados na economia nos últimos anos, ou seja, aproximadamente R$ 80 milhões, a cada mês. Ao todo, somamos 38 meses e 43 folhas de pagamentos concluídas. Estamos pagando em dia, movimentando a economia da nossa cidade neste feriado prolongado. Que todos possam brincar o Carnaval com tranquilidade”, reiterou o gestor.

Na bronca

O deputado Luciano Pimentel (PSB), retomou na sessão desta segunda-feira, 17, um pronunciamento que fez em 7 de março de 2018, sobre as pessoas que morrem vítimas de acidentes com energia elétrica e riscos com as redes de alta tensão. Na oportunidade ele relembrou a situação de risco com fios de alta tensão que passam na Praça de Eventos do Balneário João Vieira, na cidade de Cumbe. E lamentou estar sendo responsabilizado pela não realização do carnaval na localidade. “Há mais de dois anos, eu fiz alguns requerimentos para a Chesf, pedindo o remanejamento daquela linha de transmissão para que não ocorressem riscos às famílias que frequentam o balneário. Também encaminhei requerimentos ao Ministério Público, ao governo federal e ao Governo estadual, pois os fios cruzam a lagoa em que as pessoas tomam banho. Já se passaram dois anos e até agora nenhuma providência foi tomada”, lamenta.

Pra fechar!

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), revelou que na semana de 09 a 15 de fevereiro de 2020, o preço médio do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), ou gás de cozinha, vendido em Sergipe foi de R$ 69,80, por 13 quilos, assinalando queda de 3,3% em relação à semana anterior (02 a 08 de fevereiro). O GNV também registrou redução em seu preço médio, de 1,4%, no período em análise. Em termos absolutos, o preço médio desse combustível ficou em R$3,644 (por m³). O diesel, por sua vez, assinalou diminuição de 0,3% em seu preço médio em comparação à semana anterior, ficando em R$ 3,784. Para a gasolina, também verificou-se recuo no preço, de 0,2%, ficando em R$ 4,699. Na semana em análise, o etanol foi o único combustível a registrar aumento no preço, de 0,9%, em relação a semana anterior. O preço médio desse combustível chegou a R$ 3,649.

FRASE

“Há anos que o carnaval de Itabaianinha está no calendário sergipano como uma das maiores e melhores festas”

Janier Mota, dep. Estadual

Sobre projeto seu que torna festa patrimônio cultural