Fatores que influenciam o desempenho dos cavalos atletas

Os cavalos são extraordinários atletas por natureza devido a uma intensa seleção natural durante seu processo evolutivo. Toda essa superioridade atlética vem sendo aprimorada desde a domesticação através da combinação de quatro fatores fundamentais para se atingir uma máxima performance: genética, nutrição, manejo e treinamento.
Todo potencial genético de um cavalo somente poderá ser expresso quando houver equilíbrio entre o manejo correto e atendimento dos requerimentos nutricionais em função do treinamento de forma preservar a saúde física e mental do cavalo. Isso quer dizer que antes de tudo devemos reconhecer que o cavalo é um animal herbívoro de hábito gregário e pastejador, daí a necessidade de adotarmos um manejo e uma alimentação que respeite sua natureza.
Um dos fatores que mais influencia diretamente o desempenho de um cavalo atleta é a nutrição, desde a concepção do potro, passando pela gestação, seja pela égua matriz ou receptora até o período de amamentação e desmame. Éguas gestantes e lactantes necessitam nutrir seus potros, garantir-lhes quantidades de nutrientes (energia, proteína, vitaminas e minerais) para que estes alcancem a curva de crescimento ideal de cada raça. Após o desmame a qualidade da alimentação durante os dois primeiros anos de vida não pode ser negligenciada devendo proporcionar um desenvolvimento musculoesquelético bem estruturado para suportar as exigências dos treinamentos nos anos subseqüentes.
A nutrição do cavalo atleta adulto já está amplamente discutida pela literatura científica, sendo que todos apontam para uma premissa básica de que todo cavalo necessita prioritariamente de uma quantidade generosa de fibras (capins ou fenos) de alta qualidade em sua dieta e somente um complemento de alimentos concentrados (ração) para atender os aumentos dos requerimentos nutricionais impostos pela prática de exercício (treinamento).
Um conceito básico é de que devemos buscar sempre um nível seguro de inclusão de concentrados em relação ao nível de fibras. Uma dieta com excesso de concentrado rico em amido e baixas quantidades de fibras pode desencadear graves transtornos digestivos e metabólicos, tais como cólicas, enterotoxemias, laminite e obesidade, assim como provocar desvios de comportamentos indesejáveis como aerofagia ou coprofagia.
Não existe fórmula mágica para transformar um cavalo em campeão, mas sim o equilíbrio de um conjunto de práticas como uma correta nutrição em todas as etapas de vida do cavalo, um manejo que respeite os hábitos da espécie e um treinamento consciente e profissional, além de muita paciência e dedicação ao seu cavalo.

Autor

Medicina Veterinária

Outras Notícias