Medindo a Saúde

O que é ter saúde ? Essa é uma pergunta extremamente ampla e diícil de ser respondida. Segundo a Organização Mundial de Saúde,  a Saúde  é um estado completo de bem estar físico, mental e social e não apenas como ausência de doenças ou enfermidades. “

Publicação de pesquisa realizada pelo IBGE essa semana divulgou que Sergipe tem a maior proporção do país de pessoas com 18 anos ou mais que referem o diagnóstico de colesterol alto. Essa pesquisa avaliou a referência a doenças crônicas em geral, diabetes, AVC, problemas de coluna, doença mental, câncer e doenças cardiovasculares.  Hipertesão gravs por exemplo , assume a liderança no grau de limitaçã pela doença, referidos pelos próprios pesquisados. Somos campeões também segundo a pesquisa em quadros depressivos, acidentes vasculares cerebrais, asma e consumo alcoólico.

As mulheres,  sempre mais acometidas, provavelmente pelo hábito de procurarem mais os serviços de saúde do que os homens.

Medir saúde não é fácil, principalmente quando se avalia diagnósticos de doenças através de questionário subjetivo e não informações objetivas como diagnósticos comprovados. A repercussão é grande e os dados assustam.

Contra-ponto

Apesar desta pesquisa nos colocar a frente de inúmeras doenças, ao mesmo tempo nos coloca a frente de todos os Estados nordestinos em relação a frequência da prática de exercícios físicos e a menor taxa de tabagismo do Brasil. Aracaju é a maior capital anti-tabagista do país.

Não faz sentido.  Fazemos mais exercícios e fumamos menos mas somos mais acometidos por doenças crônicas diretamente relacionadas a sedentarismo e ao tabagismo. Dramático é o dado que 10 % da populaçao consome a quantidade de hortaliças e frutas recomendadas, e mais dramático ainda é ser o segundo maior do nordeste. Em Aracaju o consumo vai para 16,5%, segundo a pesquisa a maior consumo em capitais do nordeste. A grande massa da populaçao esta comendo errado, com alto nível calórico e baixo nível nutricional.  Justifica nossa pior posição em relação a tantas doenças ? Talvez. Subestimamos a importância da alimentação e principalmente o preço e o trabalho para se ter uma alimentação adequada. É muito mais fácil e barato ter acesso a uma coxinha frita à uma abobrinha recheada com tomate e queijo de baixa caloria , um refrigerante à um suco natural, que geralmente custa até mais caro.

A Conclusão

O Índice de Desenvolvimento Humano para Sergipe varia entre alto ( Aracaju ) , médio (32 municípios) e baixo (42 municípios). A pesquisa em sua maioria trabalha com dados coletados subjetivamente onde a menor “saúde“ esta infelizmente realcionada a menor renda. Sem novidades. A batalha continua sendo um eterno combate a desigualdade social, as políticas públicas de saúde efetivas e ao acesso igualitário a prevenção, diagnóstico e tratamento. Em épocas de eleição, onde podemos ouvir todo e qualquer tipo de discurso, pedimos que o discurso seja mais que verborreia e se torne em um planejamento que ofereça descência e respeito aos que precisam de informação, assistência e dependem do Sistema Único de Saúde. Até semana que vem.

Autor

Paula Saab

Outras Notícias