- 16/04/2019 - 09:15

Na Câmara

O advogado Armando Batalha Junior (PPS) deve assumir a cadeira do vereador Palhaço Soneca, na Câmara Municipal de Aracaju.  Soneca se afastará para cuidar da saúde por, pelo menos, 120 dias. Com isso, Batalha Júnior ocupará a cadeira, dando um importante e qualificado reforço ao Parlamento e, naturalmente, à bancada de sustentação do prefeito Edvaldo Nogueira.

Sem ganho

O Congresso Nacional recebeu o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020, enviado pelo governo Jair Bolsonaro. O projeto prevê que o salário mínimo nos próximos três anos não terá ganho real, ou seja, será corrigido apenas pela inflação acumulada. Para 2020, a previsão inicial do governo federal é que o salário mínimo seja de R$ 1.040,00. Os dados foram divulgados pela Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia. O projeto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

Bom exemplo

Sem mandato há quase de 20 anos,  o ex-vereador Pedro Firmino continua dando exemplo de solidariedade. O homem da “feirinha da comunidade”, tem distribuído peixe para que moradores carentes da região do 18 do Forte e adjacências possam ter o pescado durante o almoço da semana santa. Aliás, de acordo com ele, o caminho da feirinha foi vendido para pagar multa eleitoral da época em que foi candidato pela última vez.

 

Frente Parlamentar

A deputadas Maisa Mitidieri e Kitty Lima  vão comandar a Frente Parlamentar em Defesa da Mulher na Assembleia Legislativa, na condição de presidente e vice, respectivamente. Nos últimos dois anos, a Frente esteve sob a responsabilidade da deputadas Goretti Reis e Maria Mendonça que desevolveram importantes atividades.

Posse

Bastante concorrida a posse do novo superintendente da Polícia Federal em Sergipe, delegado Marcos Renato da Silva Lima. A solenidade ocorreu no auditório do Tribunal de Contas do Estado.

 

Registro cancelado

Cerca de 14 mil empresas em Sergipe podem ter os seus registros cancelados por falta de informação nos últimos anos. Enquadram-se nesse processo, as que não registraram nenhum tipo de arquivamento de ato, decorrente da atividade empresarial ou não informaram à Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese) a suspensão de suas atividades.