- 26/08/2019 - 05:00

O desenho do som

Na medicina atual, trabalhamos com métodos diagnósticos que complementam o exame clínico e nos fornece informações importantes que auxiliam no diagnostico e na condução adequada de cada paciente. Nas mamas, trabalhamos hoje com três principais exames, cada qual com sua indicação específica : a mamografia, a ultrassonografia e a ressonância magnética.  De certa forma, sempre consideramos a mamografia como o “carro chefe “da propedêutia armada da mama, a ressonância como o exame de melhor sensibilidade e pouco se fala da ultrassonografia das mamas, exame importante e fundamental muito presente na nossa rotina.

SONAR

É verdade quando ouvimos que as guerras, tragédia da cultura humana,  trazem desenvolvimento de novas tecnologias principalmente para área médica.

O som, é o resultado  da vibração dos corpos que utiliza de material física para se propagar. O Eco é o resultado da reverberação de múltiplas ondas. Apesar de estudado desde Pitágoras, foi na Segunda Guerra Mundial que o estudo do ganhou uso prático com o desenvolvimento do SONAR ( Sound Navigation and Raging ), tecnologia de detecção de distâncias através de ondas sonoras. O RADAR ( Radio Detection and Raging ) desenvolvido na mesma época, localizava distância de objetos no ar através da detecção de ecos de ondas de radio. O desenvolvimento dessa tecnologia permitiu que em 1957 o Americano Douglas Howry e suas esposa desenvolvessem o primeiro modelo prático de ultrassonografia para pacientes gestantes, onde elas ficavam submersas na água para a captação dos ecos sendo o primórdio da formação da imagem ultrassonográfica,  a nossa capacidade de enxergar o som.

Na Medicina

A primeira aplicação do ultrassom na medicina foi realizada em 1940 por um neurologista austríaco, mas foi o uso obstétrico que popularizou o método. O descobrimento do efeito Doppler por Johan Doppler permitiu a a análise e detecção de ondas em movimento levando ao estudo do fluxo sanguíneo, sua quantidade e sua direção, ferramenta fundamental atualmente nos estudos vasculares e fetais principalmente.

No estudo das mamas, sua aplicação é mais recente mas não menos importante. Como estrutura superficial, a análise das mamas pela ultrassonografia é prática, rápida e segura uma vez que o método não emite radiação ou causa qualquer tipo de dano.

Mamografia ou Ultrassonografia

Esse assunto pode ser bastante polêmico a depender de quem entra na discussão. Enxergo os dois métodos como complementares, cada qual com suas vantagens e desvantagens. A mamografia é um exame mais estudado do ponto de vista de literatura científica e possui um banco de dados mais robusto mostrando sua efetividade no rastreamento do câncer de mama. Isso não diminui a importância da ultrassonografia de forma alguma. Sendo um exame fácil de ser realizado, deve ser indicado como método complementar especialmente para as mulheres que apresentam mamas densas levando a maior sensibilidade diagnostica quando associamos os dois métodos. Apesar de simples, a ultrassonografia das mamas não é um exame fácil de ser realizado.  A análise deve ser cuidadosa e o médico muito bem treinado para enxergar as minúcias das imagens que podem aparecer nas mamas, as vezes com características bem sutis. Ele pode distinguir com certa facilidade o que são lesões sólidas e o que são lesões líquidas, informação importante que a mamografia não consegue nos dizer.

Quem deve fazer

Não existe protocolo para realização da ultrassonografia mamária mas algumas recomendações podem ser feitas. É um exame simples e rápido que pode ser utilizado sempre que se fizer necessário. Não há diretriz que diga ser obrigatória a realização de mamografia antes da ultrassonografia como muitos serviços exigem. Certamente quanto mais informação o médico que for realizar o exame tiver melhor será o resultado. Mas não é obrigatório.

Fica o recado que mulheres com mamas densas devem ter sua mamografia complementada com ultrassonografia de mamas. Nos demais casos fica a critério do médico assistente. Esteja sempre em dia com sua saúde.

Até semana que vem !