O que comer antes e depois do treino?

Uma dúvida comum entre quem se exercita é: o que comer antes e depois do treino. Em minha prática clínica, essa é uma preocupação muito frequentes entre os pacientes. E respondendo à pergunta, isso depende de muito fatores, desde o tipo de atividade praticada até o organismo de cada pessoa. É necessário avaliar cada caso individualmente em toda a sua integralidade de horário, rotina, preferências alimentares, etc.

Não importa se o seu objetivo é emagrecer, ganhar massa muscular ou apenas lazer, é importante que você esteja bem alimentado antes da atividade física. Por isso, nada de pular o café da manhã e partir para sua corrida matinal em jejum, caso você não seja acostumado ou não tenha acompanhamento nutricional para isso.

Comer antes de malhar afasta a possibilidade de mal-estar e aumenta a performance durante o exercício, além disso, o organismo necessita de energia para desempenhar bem a atividade física. A refeição antes do treino também evita a fadiga precoce e a queda do nível de açúcar no sangue (hipoglicemia).

E atenção! Mesmo sendo os primeiros a serem reduzidos por quem quer perder peso, os carboidratos são os principais nutrientes de fonte de energia. Provavelmente, seu rendimento não vai ser de alto nível sem ter forças para desempenhar o exercício.

O que comer antes do treino

Você deve dar preferência, no pré-treino, a alimentos fontes de carboidrato como pão integral, massas, cereais e raízes (batata, batata-doce, macaxeira). Estes alimentos podem ser combinados com uma fonte de proteína, como ovos, frango, peixe, atum e laticínios.

O que comer após o treino

A alimentação pós treino é importante para evitar a perda muscular, promover a recuperação do músculo após estímulo e aumentar a síntese proteica nos músculos. Por isso, dê preferência a alimentos ricos em proteínas, carnes, ovos, leite, iogurte, etc, juntamente com algum carboidrato, arroz branco ou integral, macarrão, pão integral, raízes, etc.

O importante é ter um consumo consciente e equilibrado de alguns grupos alimentares, independentemente do tipo de treino. O plano alimentar precisa conter alimentos energéticos, reguladores e construtores. Energéticos são os carboidratos, que fornecem energia e disposição para o dia a dia e, também, para o exercício físico. É o caso do macarrão, arroz, pão, tapioca, raízes, etc.

Os alimentos reguladores são aqueles fontes de vitaminas e sais minerais, que podem auxiliar numa melhor performance, aumentando a disposição e fortalecendo o sistema imunológico, além de diminuir a fadiga e prevenir doenças crônicas. São as frutas, legumes e verduras.

E também os construtores, alimentos fontes de proteínas que auxiliam na construção, crescimento e restabelecimento de tecidos, melhoram a massa magra, ossos, pele. São as carnes, leite e derivados, ovos, proteínas isoladas, como whey protein, e proteínas vegetais que têm crescido muito em consumo por questões de veganismo e vegetarianismo, como a proteína de ervilha e de arroz.

Além de tudo isso, não esqueça também que a hidratação é crucial antes, durante e depois da atividade, para repor os eletrólitos como sódio e potássio perdidos através do suor durante a prática da atividade física.

Antes de começar qualquer tratamento dietético, sempre consulte seu (sua) nutricionista para saber qual a melhor forma e estratégia nutricional para resolver o seu problema. E lembre-se sempre: Dieta só com nutricionista!

Até a próxima!

Autor

Décio Santos

Outras Notícias

voltar para página anterior