Simone de Dona Raimunda: Riachão melhora Educação

Anderson Christian

christianjor@gmail.com

Sagrada! Essa seria a palavra exata para classificar como a Educação, assim mesmo, grafada maiusculamente, deveria ser tratada pelos gestores públicos que sejam dignos dessa alcunha. Mas, como se sabe, educação, agora grafada minusculamente, só serve, para a imensa maioria dos “portadores de caneta” das administrações públicas em geral, para discursar sobre sua importância, sem de fato leva-la a sério. Ou seja: no discurso, tudo bem, tudo certo e “faremos maravilhas”. Na prática, nada pode, nunca é possível e “vamos ver no ano que vem”. Com isso, a Educação vai sendo empurrada com a barriga e se tornando cada vez menos importante para os tais “seguradores de caneta” que se dizem gestores. Mas existem as exceções. E elas devem ser louvadas, até para que, quem sabe, um dia deixem de ser exceções e se tornem regra, né isso? Assim chegamos a prefeita de Riachão do Dantas, Simone de Dona Raimunda. Desde que assumiu a prefeitura, em setembro de 2019, a prefeita tem buscado deixar todas as finanças em ordem, como fez com os direitos dos professores municipais. E muito por conta disso a coluna reproduz trecho de uma nota recebida da assessoria de Simone eu versa justamente sobre esse acerto de contas promovido por ela na gestão riachãoense. “Exemplo disso é o reconhecimento que a gestora teve da Coordenação do SINTESE na região Centro-Sul. Em entrevista concedida na Tropical FM ao radialista Edelson Freitas na última quarta-feira, (1°), o coordenador do Síntese,  Estefane Lindeberg, reconheceu o trabalho de Simone de Dona Raimunda a frente da Prefeitura de Riachão do Dantas”. E a nota segue destacando a fala do dirigente sindical. “A prefeita Simone assumiu a administração e conseguiu recuperar a carreira do magistério público, ou seja, pagou piso salarial 2020 e ainda assumiu dívidas que gestões passadas haviam deixado. Ela, de forma responsável, cuidou das finanças, organizou o seu município, com pouco tempo de gestão”. Em relação ao SINTESE, a coluna nem sempre fecha questão. Claro que o maior sindicato sergipano tem que se desdobrar na defesa de seus sindicalizados. Mas o colunista considera que, em alguns momentos, há excessos. Mas não se pode negar que o SINTESE é, legitimamente, quem melhor pode falar sobre os professores em Sergipe. E um reconhecimento desse porte garante total credibilidade a seguinte afirmação: Simone de Dona Raimunda, em Riachão, trata a Educação de forma maiúscula! Simples assim!

Coisa rara

O colunista, de cabeça, só lembra alguns poucos exemplos de reconhecimento por parte do SINTESE para gestores municipais, assim como este feito em direção de Simone de Dona Raimunda. Valmir Monteiro, em Lagarto; Valmir de Francisquinho, em Itabaiana; Gilson Andrade, em Estância; e só! Pode até ser que a memória do colunista falhe, e aí o leitor e leitora podem corrigir tranquilamente. Mas, ainda que hajam outros exemplos de reconhecimento público por parte do SINTESE, seguramente não são muitos. E, com isso, Simone entra para um seleto grupo de gestores municipais que podem abrir a boca e falar a plenos pulmões: “eu respeito e cuido bem dos professores da minha rede municipal”. E isso, creiam, não é pouca coisa, não!

Ameaça

Ao votar favorável no chamado PL da Fake News, a senadora Maria do Carmo Alves disse que o fez com muita tranquilidade por considerar que a desinformação ou a informação maldosa e agressiva, que macula imagem, gera desassossego e destroi reputação, representam uma ameaça à democracia. No seu entender, as pessoas não podem continuar se escondendo em perfis falsos para cometer crimes contra a honra e a moral de quem quer que seja. De igual modo, não deve prevalecer o instituto da “notícia” irresponsável que leva milhões de brasileiros bem intencionados a sofrerem sérios danos.

Ameaça 2

A senadora Maria do Carmo citou levantamento feito pela Avaaz, plataforma de mobilização online, segundo o qual os brasileiros são os que mais acreditam em Fake News. Os dados apontam que sete em cada dez brasileiros se informam pelas mídias sociais e 62% já acreditaram em alguma notícia falsa.  As mulheres, segundo o estudo, são as principais vítimas na disseminação de informações e notícias falsas nas redes sociais, e As informações foram apresentadas recentemente, durante audiência pública na Comissão de Defesa da Mulher da Câmara dos Deputados, que reuniu especialistas sobre o assunto.

Disciplina

Na avaliação da senadora por Sergipe, ao contrário do que alguns setores apregoam, a proposta do senador Alessandro Vieira, já aprovada no Senado e que está sob análise da Câmara dos Deputados, visa disciplinar o uso e a difusão de conteúdo na internet, utilizada por muitos como “terra sem lei”, onde sem rosto e sem nome, viralizam notícias mentirosas, induzindo milhões de pessoas a consumirem conteúdos falsos, comprometendo o pleno exercício da democracia, ao atacar de forma sorrateira o direito de acesso à informação qualificada e responsável.

FRASE

“Não preciso de emprego. Quero ajudar a quem precisa, a incentivar o trabalhador informal”

Marcos Pinheiro, ex-pres. da Acese

Sobre poder vir a disputar a prefeitura de Aracaju

Autor

Anderson Christian

Outras Notícias