Agentes penitenciários suspendem escoltas de presos

Da redação, AJN1

 

Os agentes penitenciários não irão realizar, a partir da próxima quinta-feira (23), nehuma atividade externa ou que não seja atribuição legal da categoria. A decisão foi tomada em assembleia realizada no último sábado (17) pelo sindicato da categoria. Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindipen), Luciano Nery, os agentes não irão realizar escolta externa ou para audiência de custódia, bem como transferência de presos para outras unidades, serviços de cartório e segurança nas guaritas.

 

Luciano Nery esclareceu que a suspensão da realização dos serviços não é greve ou operação padrão. Os agentes apenas passaram a executar as atribuições que são legalmente da categoria. "Não iremos mais desempenhar uma atribuição que não é inerente ao nosso cargo", disse o presidente do Sindipen, acrescentando que os agentes "estão cansados de levar o sistema nas costas e não ter o reconhecimento do governo".

 

O sindicalista lembrou que as uniades prisionais estão lotadas, com a maioria das guaritas desativadas e com o efetivo reduzido de agentes. "Trabalhamos sem EPIs – equipamentos de proteção individual. Não temos coletes balísticos e faltam até lanternas. Além disso, os veículos não têm condições de fazer escoltas. Até o momento a Secretaria de Estado da Justiça (Sejuc) não se pronunciou sobre a situação.