Banco de leite materno precisa de doação

O Banco de Leite Humano Marly Sarney (BLH), um órgão público vinculado à Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), responsável por promover o aleitamento materno e executar as atividades de coleta, controle de qualidade, pasteurização e distribuição do leite, gerida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), precisa de doação.

O BLH está com baixo estoque devido à redução do número de doadoras. Há um ano, a SES disponibiliza um carro que transporta os recipientes com os leites maternos para ajudar. “As parturientes internadas na UTI e que vêm diariamente visitar seus bebês, fazem a doação do excesso de leite. O carro é de extrema importância, porque trouxe suporte a domicilio”, revela a gerente do banco de leite, Magda Solange Dória Vieira.

O banco de leite é responsável pela captação do alimento no município de Aracaju, direcionando esse leite para as unidades de UTI Neonatal.

Doação segura

A doação do leite só pode ser feita por mães que estejam amamentando seus filhos e tenham excesso de leite. “A mãe não pode estar utilizando nenhum medicamento que contraindique a amamentação, não pode ter nenhuma doença e não pode usar drogas nem álcool”, advertiu a gerente do banco de leite.

O leite coletado pela mãe é transportado por funcionário do serviço, que se orienta por regiões (bairros próximos), acondicionando em caixas isotérmicas, contendo gelo reciclável, com termômetro de máxima e de mínima, o qual é levado o mais rápido possível para o banco de leite, onde é passado álcool 70% em todos os vidros e acondicionado no freezer específico para depois ser pasteurizado.

Com informações da SES.