Comércio varejista recua 2,2% em Sergipe

 

O comércio varejista em Sergipe recuou 2,2% em novembro frente a outubro do mesmo ano, na série com ajuste sazonal. Na série sem ajuste sazonal, na comparação com setembro do ano passado, a queda nas vendas do varejo chegou a 14,9%. No acumulado do ano, o volume de vendas no comércio varejista recuou 3% na comparação com o mesmo período de 2020. No acumulado dos últimos 12 meses, houve uma redução de 2,6%. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) e foram divulgados pelo IBGE nesta sexta-feira (14).

Outro dado negativo para Sergipe é de sua receita nominal, que apresentou um recuo de 0,7% em novembro. Apesar disso, a variação acumulada no ano foi positiva, de 9,8%.

Com este recuo, Sergipe contraria o resultado nacional, que foi de aumento de 0,6%. Além de Sergipe, mais 13 Unidades da Federação apresentaram recuo, com destaque para Paraíba (-3,1%), Piauí (-3,0%) e Bahia (-2,8%). Por outro lado, no campo positivo, estão 13 UFs, sendo as principais Roraima (3,7%), Rio de Janeiro (2,8%) e Distrito Federal (2,7%).

No comércio varejista ampliado, que inclui Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas em novembro de 2021 em Sergipe também foi de queda, registrando -2,0%. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o recuo chegou a 4,1%. O índice da receita nominal também apresentou recuo de 0,7% na passagem de outubro para novembro de 2021 e em comparação com o mesmo mês do ano anterior, teve um aumento de 9,6%.

No comércio varejista ampliado, também 14 UFs tiveram taxas negativas. As mais intensas foram na Paraíba (-6,8%), Tocantins (-6,1%) e Alagoas (-5,1%). Já pressionando positivamente, figuram 12 unidades da federação, com destaque para Rio de Janeiro (2,1%), Amazonas (1,9%) e Rondônia (1,7%). O Amapá ficou estável (0,0%).