ARACAJU/SE, 22 de julho de 2024 , 14:23:03

logoajn1

Famílias despejadas do antigo hotel Aperipê ocupam ruas do Centro de Aracaju

Por AJN1

 

As 35 famílias da ocupação que fiou conhecida como “Dandara” foram despejadas do antigo hotel Aperipê, Centro de Aracaju, após reintegração de posse emitida pela Justiça. Elas não têm para aonde ir e resolveram acampar entre as ruas Capela e São Cristóvão, deixando o trânsito e comércio completamente bloqueados.

Na manhã desta segunda-feira (20), o edifício foi lacrado.  Para a coordenadora do Movimento dos Trabalhadores Sem Direitos Garantidos (MTSDG), Maria Elisângela dos Santos, as famílias permanecerão no local até a Prefeitura ceder o auxílio-moradia no valor de R$ 300.

“Foi feita a determinação da Justiça, sem objeção por nossa parte, e agora não temos para aonde ir. Retiramos do prédio os poucos móveis que temos e trouxemos para as ruas. Vamos ficar aqui até que a Prefeitura ou Governo realmente repasse o auxílio, já que ninguém quer alugar imóvel fiado. Houve o cadastramento, mas não recebemos o benefício”, contesta Elisângela.

Ocupação

Aproximadamente 78 famílias estavam ocupando o prédio do antigo hotel desde outubro de 2014, e a Defensoria Pública do Estado de Sergipe entrou com uma Ação Civil Pública (ACP) em face do Estado e do Município, pleiteando moradia e auxílio-social para as famílias. A liminar foi deferida pela magistrada Fabiana Oliveira, da 18° Vara Cível, e, por isso, há dez dias, a Secretaria Municipal da Família e da Assistência Social (Semfas) foi ao prédio fazer o cadastramento dos ocupantes.

Semfas

Em nota, a Secretaria Municipal da Família e da Assistência Social (Semfas) informou que já realizou o cadastro das famílias que se encontram no antigo hotel Aperipê, para a concessão do auxílio-moradia. “Para o requerimento do auxílio, é necessário que as famílias procurem casas para alugar e levem a documentação necessária para o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Gonçalo Rollemberg Leite, onde será requerido o benefício”.

A Semfas informa ainda que estas informações foram dadas aos moradores do prédio há cerca de oito dias, na ocasião do cadastro, e que, apenas a partir do requerimento, é concedido o aluguel social.

 

“Das famílias cadastradas, apenas uma família foi à unidade para requerer o benefício. As famílias da Dandara receberão o auxílio-moradia até que sejam inseridas em programas de habitação popular. De fato, o cadastro já foi realizado, no entanto, para o requerimento do auxílio é necessário que as famílias procurem residências para alugar e levem a documentação, que é obrigatória, ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras), mais próximo ao imóvel que será alugado”, diz a nota.

A secretaria disse ainda que a parte burocrática foi explicada às famílias, mas, até o momento, somente uma foi a um Cras requerer o benefício. 

 

Fotos: Lindivaldo Ribeiro/CS

Você pode querer ler também