ARACAJU/SE, 14 de julho de 2024 , 22:46:31

logoajn1

Famílias que estavam alojadas na rua Propriá são transferidas para albergue estadual

 

As 41 famílias que estavam alojadas na rua Propriá, Centro de Aracaju, foram transferidas na tarde de quarta-feira (3) para um albergue estadual, localizado na Avenida Maranhão. A transferência foi acertada durante reunião entre o Governo do Estado, representantes das famílias, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Polícia Militar e o deputado federal João Daniel. O grupo de 104 pessoas estava nas proximidades no Parque Teófilo Dantas desde o último sábado, dia 30, quando foram retiradas do edifício conhecido como Casarão do Parque por determinação judicial.

 

Por decisão do governador Jackson Barreto, a secretária de Inclusão Social, Marta Leão, providenciará, num prazo de 30 dias, o início do pagamento de aluguel social às famílias.
“Como governador, é meu dever buscar alternativas para as famílias que não têm moradia. Como cristão, não poderia chegar ao dia de Corpus Christi com aquelas famílias largadas na rua. O Governo do Estado já desenvolve uma política habitacional e vamos trabalhar por uma solução”, disse o governador.

 

De acordo com a representante das famílias, Elisângela dos Santos, algumas das 41 famílias moravam no Casarão desde 2013. “Essas famílias não têm cadastro em programas habitacionais da Prefeitura de Aracaju. Ficamos felizes com a decisão do Governo porque crianças e adultos passarão a noite em um local seguro. Queremos moradia digna, nada mais que isso”, declarou.

 

Segundo Marta Leão, o governador passou no local e ao ver as famílias expostas ao frio e a chuva não poderia permitir que, principalmente, mulheres e crianças passassem mais uma noite naquelas condições.

 

Um micro-ônibus da Polícia Civil, carros e a vans da Secretaria de Estado de Inclusão Social foram utilizados para retirar as pessoas. A Secretaria também providenciou caminhões para retirar os pertences da população que ocupava a rua. A prioridade foi abrigar primeiramente as mulheres e as crianças, enquanto os homens ajudaram a transportar os pertences das famílias para em seguida irem para o albergue.

 

 

Foto: Victor Ribeiro

 

Você pode querer ler também