Gasolina já passa dos R$ 5,00 em alguns postos da capital

Pedro Ivo Faro, da Redação CS

A gasolina vendida em Aracaju rompeu a barreira dos R$ 5,00, a depender do posto de combustível e da modalidade de pagamento. A constatação foi feita em uma pesquisa realizada pelo jornal Correio de Sergipe (CS) em postos das Zonas Norte e Sul da capital sergipana nessa sexta-feira, 28/9. No último levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para Aracaju, no período entre 16/09 e 22/09 (com uma semana de defasagem, portanto) o preço médio era de R$ 4,871, com o mais alto em R$ 4,999.

Se não bastasse o valor praticado nas bombas, a informação do Índice de Preços Ticket Log (IPTL) indica ainda que, em Sergipe, o preço da gasolina cresceu em média 4% em agosto deste, no comparativo com julho. O litro saiu de R$ 4,60 para R$ 4,788 naquele mês, o maior aumento para o combustível registrado em todo o país.

Disparada

A disparada do preço é percebida na comparação com outra matéria do CS, publicada na edição do dia 13/9. Nela foi realizada uma pesquisa em alguns postos da Zona Norte, Centro e Zona Sul de Aracaju, onde o preço mais baixo da gasolina foi de R$ 4,73, enquanto o mais alto já se aproximava dos R$ 5,00, estando, à época, a R$ 4,89.

Desta vez, na pesquisa realizada na sexta, 28 de setembro, em postos das Zonas Norte e Sul, o menor preço foi justamente o mais alto da última tomada, ou seja, R$ 4,89. Diversos locais já vendiam o litro do combustível fóssil a mais de R$ 4,95 e em um dos estabelecimentos pesquisados, caso o consumidor pagasse no cartão de crédito, o valor ficava em R$ 5,08. Em pelo menos outros dois postos, caso a opção fosse pela gasolina aditivada, mesmo que o motorista pagasse à vista, a barreira dos R$ 5,00 já era transposta.

Descontentamento

Os consumidores entrevistados já não demonstravam mais surpresa ao saberem da informação do IPTL. “Já esperava algo assim”, comenta Demar Melo, que revela estar usando todas as estratégias possíveis para economizar. “Tenho abastecido o mínimo possível, e todas as distâncias próximas tenho feito a pé ou de bicicleta. Se não for assim, pesa demais no bolso”.

Já o militar Israel Souza diz que “se for dessa forma, a gasolina vai custar mais de R$ 7,00 ao fim do ano”, pondera, ironizando a alta discriminada pelo IPTL: “bem que podia ser apenas uma brincadeira de mau gosto, não é?”.

Etanol vantajoso

A alta do valor da gasolina tem tornado o uso do etanol viável para diversos motoristas. “Tenho optado em abastecer meu carro com etanol, pois quando está custando menos de 70% do valor da gasolina, compensa”, lembra o engenheiro civil, Marco Faro.

“Mesmo o carro ‘bebendo’ mais no álcool, compensa, principalmente porque em Aracaju as distâncias normalmente são curtas”, considera a professora Neuza Lopes, que também tem dado preferência ao etanol.

Sem respostas

A reportagem do CS entrou em contato com o Sindicato do Comércio Varejista de Petróleo no Estado de Sergipe (Sindpese), mas foi informada pela assessoria de comunicação da entidade que no momento o secretário executivo não poderia fornecer esclarecimentos.