Mais de 300 trabalhadores terceirados da UFS continuam em paralisação

Por falta de pagamento do salário referente ao mês de novembro, cerca de 300 funcionários terceirizados da empresa Real Service, que prestam serviços à Universidade Federal de Sergipe (UFS), continuam de braços cruzados.

 

Na manhã de hoje (18), os trabalhadores se reuniram com representares da universidade para tentar sanar o problema. Durante a conversa, a UFS reconheceu a dívida e informou que o reitor está em negociação com o MEC para conseguir recursos e pagar as duas faturas em atraso, como explica Lucas Gama, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação da UFS (Sintufs), que auxilia os terceirizados.

 

Mesmo mantendo diálogo aberto com a direção da UFS, os trabalhadores decidiram manter a paralisação até a próxima segunda-feira (21), quando acontece uma nova reunião com a reitoria e representantes da Real Service.

 

Notificação

 

A assessoria de Comunicação da UFS confirmou que o chefe de Gabinete da Reitoria, Marcionilo Lopes, esteve reunido com os terceirizados e informou que empresa Real Service será notificada e poderá ser multada por descumprimento de contrato.