Sergipe perde João Alves Filho, um grande homem público, que muito contribuiu para o desenvolvimento do estado. Saiba mais

Sebrae promove debates sobre o empreendedorismo feminino

As mulheres empreendedoras ou que planejam abrir sua própria empresa terão um dia inteiro de programação totalmente dedicado a elas. Nesta quinta-feira, 19, Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, o Sebrae realiza – dentro da Semana Global de Empreendedorismo – uma série de debates reunindo algumas das mais destacadas empreendedoras do país. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site www.sebrae.com.br/sebraedelas2020.

O painel “Dicas de ouro para mulheres líderes”vai abrir a programação, às 10h15, tratando sobre as habilidades que as mulheres precisam para exercer um papel de liderança. A presidente da Microsoft Brasil, Tânia Cosentino; a diretora executiva da Maurício de Sousa Produções, Mônica Sousa e da empresária e apresentadora da GNT e influenciadora, Bielo Pereira, têm presenças confirmadas.

Em seguida, às 11h15, o tema é “Nem romantizar nem desistir – Mães empreendedoras”. Participam desse bate-papo virtual a presidente e fundadora da Rede Mulher Empreendedora, Ana Fontes e a fundadora da startup Negras Plurais, Caroline Moreira.

Com a mediação da analista de empreendedorismo feminino do Sebrae, Renata Malheiros, elas vão conversar sobre os aspectos culturais que influenciam na vida da mulher empreendedora e possíveis caminhos para superá-los envolvendo toda a sociedade.

Tecnologia

No painel “Mulheres e Inovação”, às 14h30, as convidadas vão abordar a participação de empreendedoras em áreas de tecnologia e debater como o público feminino pode ocupar espaços em empresas de base tecnológica (as startups).

A conversa vai contar com as presenças de três empreendedoras apoiadas pelo WeImpact e pelo Fundo WE Ventures, projetos idealizados pela Microsoft, Sebrae e M8 Partners. São elas: Ana Paula Pisaneschi, CEO do Uffa, startup com soluções em crédito, negociação de dívidas e controle financeiro; Maíra Pimentel, cofundadoraTamboro, startup em educação e inovação e Caroline Dallacorte, CEO da PackID, startup com solução de monitoramento para a cadeia de distribuição de produtos perecíveis.

A mediação da conversa será realizada por Marcella Ceva, CIO We Ventures, fundo de investimentos voltado 100% a startups lideradas por mulheres.

Empreendedorismo

Um levantamento feito pelo Sebrae com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2018, revela que em Sergipe 95,8 mil pessoas do sexo feminino são proprietárias de um negócio. O número representa 34% do total de empreendedores do estado.

Essas mulheres optam pela criação de um negócio motivadas principalmente pela necessidade de obter uma nova fonte de renda ou adquirir sua independência financeira. O estudo mostra que elas são mais jovens (43,8 anos contra 45,3 no caso dos homens), mais escolarizadas (42% possuem o ensino médio) e trabalham em média 30,8 horas no negócio.

Apesar disso, a maioria das mulheres atuam na informalidade. Cerca de 2/3 das proprietárias de um negócio trabalha sem CNPJ. Além disso, dentre as quase 96 mil empreendedoras sergipanas, 87% delas atua por conta própria.

Fonte: UMC Sebrae