Tribunal Regional do Trabalho leiloou cerca de R$15 milhões de bens do grupo Bomfim

Os cerca de 1.500 mil funcionários que moveram ações trabalhistas contra o Grupo Bomfim podem receber ainda este ano parte do valor da dívida. Ontem, 27, aconteceu mais um leilão de bens do grupo, foram arrematados quatro lotes somando mais de R$ 15 milhões. De acordo com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT/SE) esse foi um dos maiores leilões em termo de valores arrecadados. A expectativa do juiz responsável é que parte do valor seja liberado até final de dezembro.

 

Outros leilões já foram realizados e até agora cerca de R$ 17 milhões já foram pagos aos trabalhadores. “O valor arrecadado com os quatro lotes vai atender uma quantidade muito grande de credores. A dívida gira em torno de R$ 80 milhões, incluindo execução fiscais, e credito previdenciário, mas com esses bens que vendeu ontem, pagamos uma quantidade razoável, mas ainda não quita a dívida”, afirma Dr. Antônio Francisco de Andrade, juiz auxiliar de execução do TRT/SE.

 

Com a venda do leilão que aconteceu ontem o TRT/SE já deve ter em conta cerca de R$ 5 milhões que podem ser repassados aos trabalhadores ainda este ano. “ O valor dos  imóveis arrematados no leilão são parcelados, o comprador garante a compra com sinal de 30% do valor total que foi depositado hoje (ontem). Esse valor é de quase R$ 5 milhões e o restante parcelado em 7 vezes. Pretendo que esses R$ 5 milhões sejam pagos ainda esse ano aos trabalhadores e a medida que as parcelas vão sendo pagas, vão sendo liberadas também para abater a dívida”, explica o magistrado.

 

No dia 18 de dezembro acontece mais um leilão de parte de um imóvel do Grupo que foi dividido em lotes. “Nós vendemos dois ônibus e dois imóveis ontem, um em Maceió (Al)e outro é parte da garagem (38 mil m²) que fica na Avenida Tancredo Neves. No dia 18 será vendido outro lote dessa garagem  com 18 mil m², que já sabemos de  existem pessoas interessadas e certamente  também teremos sucesso”, afirma o juiz lembrando que outros bens já estão penhorados.

 

“Já mandamos avaliar uma fazenda que vale pouco mais de R$ 1 milhão em São Cristóvão,  uma garagem na Rua de Alagoas, outra em Salvador (BA), imóveis que podem ir a leilão a qualquer momento. Tem também a Fazenda Piauí  no município de Lagarto, mas essa ainda vou julgar embargos e depende  de recursos. Se fossem vendidos todos esses bens até a Fazenda Piauí pagaria toda a dívida”, revela Dr. Antônio Francisco.