ARACAJU/SE, 3 de março de 2024 , 19:52:16

logoajn1

Ícone do heavy metal nacional, Sepultura anuncia fim da banda e turnê de despedida a partir de 2024

 

Maior nome do heavy metal brasileiro, o Sepultura fará sua última turnê a partir de 2024. Os atuais integrantes Derrick Green, Paulo Jr., Andreas Kisser e Eloy Casagrande se reuniram ontem (8), em São Paulo, para anunciar o fim das atividades do grupo.

A última série de shows vai durar 18 meses e passará por países da América Latina e Estados Unidos. No Brasil, já foram marcadas oito apresentações.

“O Sepultura vai parar. Vai morrer. Uma morte consciente e planejada”, disse a banda, em um comunicado.

“Estamos felizes e muito agradecidos com tudo que aconteceu na nossa história, fizemos grandes álbuns e shows, cultivamos amizades, conhecemos nossos ídolos, ajudamos a colocar o metal brasileiro no mapa mundial e, agora, deixamos a cena com o sentimento de dever cumprido”, disse.

A turnê final, batizada de “Celebrating Life Through Death”, será gravada e dará origem a um disco ao vivo, com 40 músicas registradas em 40 cidades diferentes.

40 anos de carreira

O Sepultura foi criado em 1984 pelos irmãos Max e Igor Cavalera, em Belo Horizonte. Em quase quatro décadas de carreira, o grupo se tornou referência do metal, misturando o som pesado com elementos de música tribal, indígena, africana, entre outros estilos.

O reconhecimento fora do Brasil veio principalmente a partir do álbum “Roots”, lançado em 1996 com Carlinhos Brown como um dos colaboradores.

O disco foi o último com a participação de Max Cavalera, antigo vocalista, que anunciou sua saída ainda em 1996, em meio a um racha na banda.

A briga começou quando os outros integrantes – Andreas, Paulo e Igor – pediram que Gloria Cavalera, mulher de Max, deixasse de empresariar o Sepultura. Na época, eles alegaram que ela favorecia o marido nas ações do grupo. O baterista Igor Cavalera se desligou dez anos depois.

Em 2021, o Sepultura lançou “SepulQuarta”, álbum gravado em lives com convidados durante a pandemia de covid-19. Na época, o guitarrista Andreas Kisser disse, em entrevista, que o grupo vivia “o melhor momento da carreira em todos os aspectos”.

Fonte: G1

Você pode querer ler também