ARACAJU/SE, 15 de julho de 2024 , 0:02:42

logoajn1

Segunda noite de shows leva mistura de ritmos ao Forró Caju

Pluralidade e tradição. Duas características que poderiam soar como antagônicas, mas que se complementaram e resumem bem a essência da segunda noite do Forró Caju. Com atrações já conhecidas em nosso cenário nordestino e também com ritmos diferentes, a dinâmica entre os palcos Luiz Gonzaga e Dominguinhos ganhou uma nova tônica. 

Com a proposta de ir além da tradição, a banda Naurêa incluiu em seu repertório ritmos latinos e promoveu um intercâmbio músico-cultural durante sua apresentação.  O vocalista do grupo, Alex Santana, conta que há dois anos não tocava no Forró Caju e revela que abrir a segunda noite de evento torna o regresso ainda mais gratificante. "Tocar no Forró Caju para a gente é sempre um privilégio. Demos um tempo, mas, voltamos da melhor maneira possível, seguindo nossa tradição musical e ainda incluindo ritmos latinos em nosso repertório. A galera tem dançado e hoje pudemos evidenciar que a recepção do público foi a melhor possível", declara.

Com um repertório mais dedicado a Luiz Gonzaga e Trio Nordestino, o cantor sergipano Lourinho do Acordeon levantou o astral dos forrozeiros e fez questão de enaltecer as raízes da cultura nordestina.  "Foi um show grandioso, a animação e interação das pessoas tem mostrado que o público nunca deixa de curtir nossa tradição, a zabumba, a sanfona e o triângulo. Enfim, nossa raiz que é o forró pé-de-serra", destaca. Durante a apresentação, a cantora Maysa Reis subiu ao palco e fez uma participação com o cantor.

Muita cultura, tradição e músicas novas recheadas de muito amor e carinho à nação forrozeira. Assim resume-se a apresentação do artista alagoano Ivaldo Maceió. "Nosso show, nossas músicas, sem dúvidas representa muito a gente nordestina. Já são 18 CDs gravados, três DVDs, disco de ouro e alguns troféus. Conquistas que foram fruto de uma carreira dedicada reforçar e levar a cultura nordestina Brasil a fora", ressalta.

Com uma pegada sertaneja e um toque de arrocha, Thiago Farra fez jus ao referencial que carrega em seu nome artístico e manteve a animação durante a segunda noite do Forró Caju. "A intenção era mesmo fazer a maior farra, levar muita animação e não deixar o público parado. Isso tem mostrado que a galera está curtindo, aceitando bem o repertório e reforçado que o segmento tem se consolidado e agradado a muitos", reforça.

Nostalgia, sofrência, vaqueirama e muito arrastapé definem o repertório da banda Forró Maior. Sob o comando de Joyce Mendes e Bibi Maior, os festeiros de plantão renovaram o gás e mantiveram o ânimo da festa. "O novo repertório é eclético, bem diversificado e repleto de músicas que marcaram os 28 anos da banda. Além disso, não poderíamos de manter a tradição e também fazemos uma homenagem a Luiz Gonzaga", detalha Bibi.

O caldeirão cultural da segunda noite de Forró Caju ficou ainda mais completo com a apresentação final de Danielzinho e Forrozão Quarto de Milha que, como sempre, fez o público cantar e dançar durante a madrugada, deixando aquela sensação de que valeu a pena sair da rotina e um gostinho de quero mais.

Fonte: PMA

Você pode querer ler também