ARACAJU/SE, 22 de maio de 2024 , 11:38:31

logoajn1

Paralisação do Fisco não visa prejudicar o Estado, mas sensibilizá-lo, afirma Pedroza

Da redação, AJN1

O presidente do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco), Paulo Pedroza, reuniu a imprensa no início da manhã desta quinta-feira (15), para explicar os motivos pelos quais a categoria decidiu paralisar as atividades por um dia a cada semana. Segundo ele, “o objetivo das paralisações não é prejudicar o Estado, mas sensibilizá-lo”. 

Pedroza foi categórico ao afirmar que o Governo, até agora, não se mobilizou para dar uma resposta formal sobre as reivindicações da categoria, que incluem o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), melhores condições de trabalho e o subsídio. 

“Como o Governo não dá uma resposta à categoria sobre as reivindicações, que são antigas, decidimos pelas paralisações e no dia 20 haverá outra de 24h. Hoje, um auditor sofre com a precariedade das condições de trabalho. Tem postos fiscais que estão com o teto caindo. A estrutura física da maioria é péssima. Além disso, não tem policiamento nos postos e nem balança adequada para uma fiscalização eficiente. Sem falar na baixa potência das viaturas. Tudo isso prejudica o trabalho dos auditores e o Estado precisa apresentar soluções”, expõe o sindicalista.

Com a paralisação, todos os postos fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) não funcionaram e deixaram de fiscalizar os caminhões com mercadorias que entraram em Sergipe. “Isso é ruim para o Estado. Pode mexer com a arrecadação”, disse Pedroza.

Resposta

A assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Fazenda, disse que o Governo tem dialogado com as categorias, inclusive, com os auditores fiscais, e tem mostrado a difícil situação financeira do Estado e, por isso, no momento, o PCCV não tem como ser implementado. Afirmou também que as paralisações dos servidores prejudicarão o Estado, sendo que Sergipe está precisando melhorar a sua arrecadação.

Você pode querer ler também