ARACAJU/SE, 21 de maio de 2024 , 19:30:37

logoajn1

Puxado pela crise no país, Orçamento da PMA para 2016 cai 1,65% e deve ficar em R$ 1,766 bilhão

A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) apresentou ontem, durante abertura da audiência pública sobre o Projeto de Lei Orçamentária Anual- LOA 2016, a previsão orçamentária para o município para 2016. De acordo com o secretário municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão, Igor Albuquerque, o Orçamento da PMA para o próximo ano será de aproximadamente R$ 1.766 bi, R$ 30 mi a menos se comparado ao orçamento de 2015, que foi de R$ 1.796 bi.

 

Em sua fala, o secretário explanou a respeito da situação financeira atual do país que repercute nas administrações municipais. "Todos sabem e tem acompanhado a situação adversa que o país se encontra, ou seja, uma estagnação e inflação crescente são exemplos. Hoje, o cidadão pode observar que a cada mês que leva R$ 100,00 para o supermercado, irá trazer menos produtos e isso se chama inflação. A importância de uma audiência como está é para que a população possa compreender o atual aspecto orçamentário do município e colaborar com sugestões, já que precisamos enviar até o dia 20 de novembro o Projeto de Lei para a Câmara Municipal", disse.

 

Igor Albuquerque lembrou ainda que em 2016 será necessário agir com responsabilidade para reduzir os custos. "É melhor assumir uma postura mais conservadora agora, do que dá um salto que não poderemos dar conta", pontua o secetário.

 

O Coordenador Geral da Central de Orçamento da Seplog, Abel de Oliveira Ribeiro, ministrou uma apresentação didática com definições de termos orçamentários e exibiu algumas tabelas com valores previstos para o ano de 2016.

 

"Exibimos aqui os valores de receitas e despesas para toda a Prefeitura, no intuito da população ter conhecimento do Projeto de Lei Orçamentária anual que ainda precisa passar pela aprovação da CMA. Para o próximo ano, todas as pastas sofrerão quedas orçamentárias, com a exceção da Saúde e Educação", explicou.

 

A presidente da Associação de Ambulantes e artesãos de Sergipe, Cristina Nascimento, fez questão de participar da audiência e colaborou com sua sugestão.

 

"Acho válido audiências como esta onde tomamos conhecimento da situação financeira do nosso município. Sei que os recursos estão reduzidos, mas peço a compreensão do prefeito em dar uma atenção para a construção do camelódromo, algo que possibilitaria o aquecimento do comércio", afirmou.

Você pode querer ler também