Escolas Francisco Portugal e 15 de Outubro não serão fechadas

 

Em diálogo com as comunidades escolares das escolas estaduais 15 de Outubro e Francisco Portugal, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) definiu estratégias para aumentar a matrícula nessas unidades de ensino. Professores e alunos, junto à equipe gestora da escola e da Diretoria de Educação de Aracaju (DEA), se comprometeram a intensificar ações de busca ativa de alunos em idade escolar que estão fora das escolas.

As discussões, realizadas nas dependências das duas escolas, ambas localizadas em Aracaju, ocorrem no âmbito da reestruturação da oferta de vagas escolares, ação executada pelo Governo de Sergipe para garantir a todo cidadão o direito à matrícula na escola pública, maximizar os recursos financeiros, otimizar espaços ociosos e o quadro de servidores da Educação.

A Seduc discutiu o reordenamento da rede estadual de ensino nessas escolas em reuniões plenárias realizadas na quarta-feira (23), no auditório da Escola Estadual Professor Francisco Portugal, no conjunto Augusto Franco, em Aracaju, e nesta quinta-feira (24), no pátio da Escola Estadual 15 de Outubro, com a participação de professores, alunos, pais e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe (Sintese).

A reunião contou com a presença da diretora do Departamento de Educação (DED/Seduc), Ana Lúcia Lima; da diretora da Diretoria de Educação de Aracaju (DEA), Eliane Passos; da diretora de Comunicação, jornalista Gleice Queiroz; do diretor da Coordenadoria de Informática (Codin), Alexandre Veras; da representante do Departamento de Recursos Humanos (DRH), Zelita Brito, e de técnicos da Seduc.

A Escola Estadual 15 de Outubro, no bairro Getúlio Vargas, funciona atualmente pela manhã, com uma matrícula de apenas 115 alunos. Na mesma rua onde está instalada fica o Colégio Estadual John Kennedy, que possui salas ociosas e capacidade de acomodar todos os alunos do “15 de Outubro”.

A diretora da DEA, Eliane Passos, afirmou que a dois anos já tem mantido estreito o diálogo com a escola. Ela explicou que parte significativa dos alunos não residem no entorno da escola, mas sim, estudantes que são transportados de outras localidades.

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura decidiu pela permanência das aulas no turno noturno da Escola Estadual Professor Francisco Portugal e do turno matutino da Escola Estadual 15 de Outubro. A diretora Eliane Passos explica que essa decisão estará submetida ao aumento das matrículas. Caso não haja um número mínimo de alunos, as turmas serão transferidas para outras unidades de ensino, para que sejam maximizados os recursos financeiros e otimizados os espaços ociosos e o quadro de servidores da Educação.

Fonte: Ascom Seduc