ARACAJU/SE, 26 de fevereiro de 2024 , 22:39:59

logoajn1

Professores retomam as atividades a partir desta terça-feira

Os professores das redes municipais e estadual resolveram retomar as atividades a partir desta terça-feira (28). A decisão pelo fim da greve, que começou no dia 15, foi tomada durante assembleia realizada ontem (27) no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, em Aracaju. No entanto, os professores alertam que a luta pela valorização do magistério e contra as medidas promovidas pelo governo de Michel Temer vai continuar. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese), o foco agora é a jornada de lutas para a construção da greve geral dos trabalhadores brasileiros, organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), prevista para acontecer no mês de abril.

Apesar de aprovar o retorno à sala de aula, ficou decidido que os professores ficarão em estado permanente de assembleia e greve, o que significa que caso o sindicato convoque a categoria, ela poderá retomar a paralisação. Para a presidente do Sintese, professora Ivonete Cruz, os professores construíram uma importante resistência e este é o momento de voltar às escolas para levar o debate aos estudantes, pais e mães sobre a importância de todos estarem juntos na luta contra as reformas trabalhista e da previdência.

“O governo Michel Temer percebeu por meio das manifestações ocorridas no dia 15 de março que nós, trabalhadores e trabalhadoras, não vamos permitir que nossos direitos conquistados com muita luta, suor, sangue e lágrimas sejam retirados. Somente em Aracaju mais de 30 mil trabalhadores foram para as ruas no dia 15 de março. E a luta dos trabalhadores brasileiros deu resultado: não há mais previsão de data para a votação da reforma da previdência no congresso. Mas precisamos ficar atentos”, ressaltou a sindicalista.

Para Ivonete Cruz é necessário que haja unidade de todos os sindicatos e centrais sindicais na luta frente as medidas do governo federal. “Nós, professores e professoras da rede pública de Sergipe iremos continuar na resistência e manter uma jornada de lutas para a construção da greve geral dos trabalhadores”.

*Com informações Ascom Sintese

Você pode querer ler também