ARACAJU/SE, 23 de fevereiro de 2024 , 13:44:21

logoajn1

Enrehse debate previsões meteorológicas e relação com sertanejo

As previsões meteorológicas para o próximo trimestre e a relação dos efeitos do clima com o homem sertanejo foram os motes que embasaram a palestra de Antônio Divino Moura, coordenador-geral do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INP), durante o segundo dia do X Encontro de Recursos Hídricos de Sergipe (Enrehse). O evento, que acontece de 22 a 24 de março no auditório da Codise, em Aracaju, é uma realização do governo do Estado, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos e da Superintendência de Recursos Hídricos, e visa aproximar e difundir o conhecimento técnico-científico referente à água.

Prestigiado por centenas de alunos, professores e doutores de diversas universidades, Divino Moura explicou que o título de sua palestra, “Clima e Sociedade: O Homem, a Terra e a Luta”, é baseado no livro ‘Os Sertões’, de Euclides da Cunha, que é dividido epicamente em três capítulos.

“Nós tivemos a ideia de revisitar o tema escrito por Euclides. Na questão da Terra, agora, com satélites, mapeando bem a geografia, os recursos hídricos, a botânica; na questão do Homem, os estudos da antropologia, a sociologia, a educação, como o homem se coloca nesse ambiente social no Nordeste; em terceiro a Luta, não mais armada, mas a luta pela sobrevivência. Estruturamos a ideia e publicamos um livro em 2006”, disse Divino.

Segundo o especialista, a palavra seca tem uma conotação muito além dos estudos meteorológicos. “Como a gente lida sem a chuva no semiárido? Ano a ano não chove e a expressão seca tem um significado que vai além da meteorologia. É melhor falar em déficit de precipitação, que implica em déficit hídrico. Aliás, a seca não é apenas falta de chuva, há também a seca social, cultural. A palavra em sim é abrangente”.

Nada Otimista

Durante a palestra, Divino Moura mostrou, por meio de mapas climatológicos, que a previsão para o próximo trimestre para o Nordeste não é positiva. “A notícia não é muito boa. As chuvas podem ser de normal a abaixo da média. Aqui,do lado leste do Nordeste começa a estação chuvosa, cujo pico é mais consistente nos meses de maio a junho. Os nossos modelos estão prevendo índices na média nos próximos três meses, isto é, chuvas normais e um pouco com déficit. A previsão é consistente e nada otimista”, alertou.

Divino também discorreu sobre o Monitor de Secas, ligado à Agência Nacional das Águas, que objetiva integrar o conhecimento técnico e científico já existente em diferentes instituições estaduais e federais para alcançar um entendimento comum sobre as condições de seca, como: sua severidade, a evolução espacial e no tempo, e seus impactos sobre os diferentes setores envolvidos. Segundo ele, o Monitor facilita a tradução das informações em ferramentas e produtos utilizáveis por instituições tomadoras de decisão e indivíduos, de modo a fortalecer os mecanismos de monitoramento, previsão e alerta precoce.

Presente ao evento, o chefe do Centro de Meteorologia de Sergipe, ligado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Overland Amaral, fez questão de parabenizar a palestra do coordenador do CPTEC. Comungando da previsão nada otimista do colega, Overland também afirmou que o próximo trimestre será de chuvas na média ou abaixo da média.

“A palestra foi extremamente pertinente para o que nós estamos vivendo no momento atual, com uma situação climática negativa, com falta de chuvas e perspectivas de diminuição dessas chuvas. Divino Moura é pioneiro nessa pesquisa meteorológica e climatológica no Brasil, uma pessoa renomada internacionalmente. A explanação dele foi extremamente enriquecedora”, elogiou.

Sucesso

Para o superintendente de Recursos Hídricos de Sergipe, Ailton Rocha, o segundo dia do Encontro está superando as expectativas. “Hoje, nós tivemos uma palestra muito importante do doutor Divino Moura, a maior autoridade do Brasil e, talvez, do mundo em clima. Depois aconteceram as apresentações de trabalho de alunos, que estão concorrendo a prêmios. À tarde, haverá uma palestra do professor Patrocínio, da UFS, sobre a qualidade da água em nossos seis reservatórios e, na sequência, apresentações de trabalhos. Temos tido a participação muito positiva do público ao nosso evento. É a demonstração de que o Enrehse está consolidado e com a natureza técnico-científica muito aprimorada”, comemorou Aílton Rocha.

Você pode querer ler também