ARACAJU/SE, 3 de março de 2024 , 18:52:43

logoajn1

Polônia se prepara para guerra com a Rússia, diz ministro da Defesa

 

A Polônia se prepara para uma possível guerra contra a Rússia, caso o país liderado por Vladimir Putin vença na Ucrânia e decida expandir o conflito para países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

A declaração, que põe mais lenha na fogueira da tensão no Leste Europeu, foi do ministro da Defesa polaco, Władysław Kosiniak-Kamysz, publicada pelo jornal Super Expressa.

“Assumo todos os cenários e levo a mais a sério os piores”, declarou Kosiniak-Kamysz ao ser questionado sobre uma possível agressão russa à Polônia. “É preciso estar preparado para cada cenário”, disse. Segundo o ministro da Defesa do país, “a situação no mundo é muito grave”, com focos de tensão não somente na Europa, mas também no Mar Vermelho e no Pacífico.

Kosiniak-Kamysz disse que Varsóvia tem tentado preencher algumas lacunas pensando no possível conflito, como a compra de equipamentos e armas para as tropas polacas. “Equipar individualmente um soldado com equipamento novo e da mais alta qualidade é, para mim, uma mudança muito importante que deve ocorrer”, declarou.

A fala de Kosiniak-Kamysz se soma a outras de países membros da Otan, que aumentam ainda mais a tensão na região. Recentemente, o ministro da Defesa da Suécia, Carl-Oskar Bohlin, pediu que civis estejam preparados para atuar em uma possível guerra na Europa. A declaração do sueco foi apoiada pelo presidente do Comitê Militar da aliança liderada pelos Estados Unidos, Rob Bauer, que disse acreditar em um conflito entre os países do bloco e a Rússia dentro dos próximos 20 anos.

Polônia posiciona aviões após bombardeios russos perto de fronteira

Depois de ataques com mísseis contra o território ucraniano em uma região próxima à fronteira com a Polônia, as Forças Armadas do país decidiram, nesta quarta-feira (7), posicionar aeronaves para monitorar as movimentações dos russos.

A Rússia bombardeou diversas regiões da Ucrânia nesta quarta, entre elas a capital do país, Kiev — que recebe Josep Borrell, chefe da diplomacia da União Europeia (UE). Ao todo, até o momento, os ataques aéreos deixaram quatro mortos e 19 feridos.

No entanto, o alerta do governo polaco acendeu após um dos mísseis balísticos russos chegarem à parte ocidental da Ucrânia, em Lviv, que registrou um incêndio. Esse território faz fronteira com a Polônia.

O país ainda informou que já pôs em prática “todos os procedimentos necessários para garantir a segurança do espaço aéreo polaco”. Os militares seguem monitorando a região.

“Gostaríamos de informar que está sendo observada a intensa atividade de aviação da Federação Russa relacionada a ataques de mísseis no território da Ucrânia”, diz trecho de comunicado do Comando Operacional das Forças Armadas polacas.

Fonte: Metrópoles

Você pode querer ler também