ARACAJU/SE, 15 de abril de 2024 , 10:18:26

logoajn1

Se Biden se reeleger, o pior está por vir, adverte Trump

 

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que o “pior está por vir”, caso o presidente Joe Biden seja reeleito em novembro de 2024. O republicano deu a declaração durante discurso na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), realizada em Washington (EUA).

Segundo Trump, a saúde, a economia e a segurança do país devem “colapsar” em um eventual segundo mandato de Biden.

“Acredite em mim quando eu aviso: se Joe Biden conseguir vencer em 2024, o pior ainda está por vir. O país chegará em níveis imagináveis“, declarou o republicano.

“Estou diante de vocês hoje não apenas como seu passado e futuro presidente, mas como um orgulhoso dissidente político”, disse.

O ex-presidente afirmou ainda que o dia das eleições norte-americanas, marcado para 5 de novembro, deve ser o “dia da libertação” para os “americanos trabalhadores”.

“Para os americanos trabalhadores, dia 5 [novembro] será o nosso novo dia de libertação – mas para os mentirosos, trapaceiros, fraudadores e impostores que comandaram o nosso governo, será o dia do seu julgamento”, declarou Trump.

Trump e Milei se encontram em evento conservador

O presidente da Argentina, Javier Milei, e o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se encontraram durante a CPAC, realizada em Washington (EUA), no sábado (24).

No encontro, Trump e Milei mencionam a frase “Make Argentina Great Again”, que faz referência ao lema de campanha do ex-chefe do Executivo norte-americano “Make America Great Again” – ou “Maga”.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) também estava entre os convidados, mas não pôde ir por causa da apreensão de seu passaporte durante a operação Tempus Veritatis, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em 8 de fevereiro.

A defesa de Bolsonaro pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a devolução do documento para que ele pudesse ir ao evento. O processo corre em sigilo e não há informações se o pedido foi deferido pelo relator da investigação, ministro Alexandre de Moraes. No entanto, o ex-presidente não foi à conferência.

Fonte: Poder360

Você pode querer ler também